Beja: Operação de transferência de infetados de lar para a BA 11.

Pin It

A operação de transferência de 58 utentes da Mansão de São José, em Beja, começa ás 14,00 horas. Envolvidas três centenas de pessoas e cerca de uma centena de viaturas.

A partir das 14,00 horas em Beja, mais de três centenas de pessoas, entre Corpos de Bombeiros, Cruz Vermelha, Proteção Civil Municipal, Segurança Social Autoridade de Saúde Pública, PSP, GNR e Força Aérea, apoiados por cerca de uma centena de viaturas, vão estar envolvidas na operação de transferência de utentes da Mansão de São José infetados com covid-19 para a Base Aérea (BA) 11.

Tal como o Lidador Notícias (LN) tinha avançado ontem, 58 mulheres do lar daquela instituição localizado no Centro Histórico da cidade, vão ser transferidas para uma caserna da BA11, que desde o início da pandemia esta referenciada e preparada para ser o “apoio de retaguarda” em caso de um surto como foi o que ocorreu onde há 97 casos positivos, 83 utentes e 14 funcionárias, das 126 pessoas existentes na instituição.

Na Mansão de São José, propriedade de uma ordem religiosa, vão entretanto manter-se 28 utentes infetadas, estando três mulheres internadas nas enfermarias Covid do Hospital José Joaquim Fernandes, em Beja.

O presidente da Câmara Municipal de Beja e do Serviço Municipal da Proteção Civil revelou que a transferência decorre “da determinação da Autoridade de Saúde Pública da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) depois de concluída a monitorização do estado de saúde das utentes”. Paulo Arsénio acrescentou que na Estrutura Residencial para Idosos (ERPI) da Quinta da Navarra, também ligada à Mansão de São José, localizada a estrada militar que liga à BA11, “os testes realizados ontem a todos os utentes e funcionários resultaram todos negativos”, concluiu.

Em entrevista à Antena 1, o autarca referiu que a “câmara contratou trabalhadores para substituir os da instituição que estão infetados, chegando hoje os primeiros 14, um esforço muito grande da instituição”.

Foi também contratada uma empresa de prestação de serviços de geriatria para cuidar dos utentes transferidos para a BA 11 e no lar vai também estar uma Brigada de Apoio da Cruz Vermelha para substituir os trabalhadores que ficaram de quarentena.

Esta é a primeira vez que a BA 11 é utilizada para receber doentes infetados com covid-19 e também a maior operação de transferência de pessoas doentes entre duas instituições.

Segundo apurou o LN, a operação que vai ser coordenada pelo comandante dos Bombeiros de Beja, Pedro Barahona, estando prevista a presença de sete Corpos de Bombeiros e da Cruz Vermelha de Beja.

Num balanço sobre a situação epidemiológica no concelho, a Câmara Municipal de Beja revelou que até às 24,00 horas de quinta-feira, existiam no concelho 168 casos ativos, num total de 255 infetados (numero cumulativo), com 85 recuperados e dois óbitos. A edilidade justifica que neste número estão incluídos os 97 casos da Mansão de São José e que dos testes realizados ontem a todos os utentes e funcionários das duas ERPI´s da Cruz Vermelha Portuguesa, sitas em Beja, os resultados foram todos negativos.

Outra situação que tem preocupado as autoridades tem a ver com o foco que foi detetado no passado dia 24 de setembro no Bloco Operatório do Hospital José Joaquim Fernandes, que no total já registou 36 infetados, estando agora com 14 caos ativos, sendo que 7 são enfermeiros e 2 médicos.

Teixeira Correia

(jornalista)

Pin It
Share This Post On
970x90_logo