Ourique: Funcionário e dirigente da Santa Casa da Misericórdia suspeito de desfalque financeiro.


A Santa Casa da Misericórdia de Ourique, está de novo no “olho do furação”, desta feita porque um funcionário e dirigente é suspeito de desfalque financeiro na instituição. Foi confrontado com filmagens, admitiu o furto e pediu a demissão dos cargos.

André Baltazar (à direita da foto), técnico administrativo e secretário da mesa administrativa da Santa Casa da Misericórdia de Ourique (SCMO) e árbitro de futebol da Associação de Futebol de Beja, é suspeito de ter levado a efeito um desfalque financeiro do interior dos cofres da instituição presidida pelo antigo presidente da Câmara e ex-deputado, José Raul dos Santos.

O indivíduo, de 32 anos, foi filmado a retirar dinheiro do cofre, depois de elementos dos órgãos sociais da SCMO se terem apercebido que estava a sair dinheiro do cofre da instituição, sem razões ou gastos que comprovassem a saída das verbas.

Face às dúvidas sobre quem seria o autor do desvio de dinheiro, sem prévio aviso e para que ninguém se apercebesse, o Provedor decidiu instalar câmaras de vídeo, para conseguirem chegar ao autor dos furtos.

Depois de ser filmado, na passada segunda-feira a abrir o cofre e a levar consigo uma considerável quantidade de dinheiro, proveniente das receitas da Santa Casa, nomeadamente dos lares que gere, um dos quais onde funcionam os serviços administrativos.

Fonte da instituição disse ao Lidador Notícias (LN) que no dia seguinte, 26 de março, André Baltazar “confrontado com as filmagens admitiu os desvios de dinheiro e apresentou a demissão dos cargos, como funcionário e dirigente, o que foi aceite. O caso arrastava-se há mais de um ano”. A mesma fonte revelou que a justificação apresentada pelo suspeito foi a de que “a família vive com problemas económicos e que o dinheiro se destinava a pagar uns empréstimos”, justificou o nosso interlocutor que acrescentou que o individuo “tem aparenta sinais exteriores de riqueza”, concluiu.

De momento a instituição está a apurar o valor total das verbas desviadas e depois decidirem se vai ser feita queixa ao Ministério Público de Ourique. “Há a certeza do que foi e de quem foi, agora importa apurar a dimensão e qual a reparação do furto”, disse a nossa fonte sobre a decisão a tomar pela Irmandade que lidera a Santa Casa da Misericórdia.

Os órgãos sociais tomaram posse no passado dia 11 de janeiro e André Baltazar, o irmão nº. 582, foi empossado o secretário da mesa administrativa, o terceiro da escala hierárquica da instituição. O LN apurou que como árbitro-assistente o indivíduo fez ontem de manhã um jogo dos escalões de formação das competições da Federação Portuguesa de Futebol.

O LN tentou contatar André Baltazar, mas este tinha o telemóvel desligado, nem tendo respondido à mensagem escrita enviada.

Na Santa Casa o momento de não fazer comentários, enquanto que no Conselho de Arbitragem de Beja, dizem tratar-se de um assunto “da vida pessoal do filiado”, justificam.

QUEM É QUEM

André Alexandre da Costa Baltazar, 32 anos, solteiro, nasceu em Beja, mas reside em Santa Luzia, concelho de Ourique, funcionário e dirigente da Santa Casa da Misericórdia de Ourique. É árbitro de futebol há 15 anos, tendo na temporada 2017/2018, ter sido considerado o “Árbitro do Ano” na A.F.Beja, o que lhe permitiu este ano ser Estagiário Nacional, para subir do distrital ao nacional, além de ser árbitro-assistente de um colega no nacional. O seu “melhor amigo”, é César Leitão, também árbitro de futebol e irmão nº. 608 na Irmandade da Santa Casa, 3º suplente da Mesa da Assembleia Geral.

Teixeira Correia

(jornalista)


Share This Post On
970x90_logo