Opinião (Rogério Copeto- T.Coronel GNR): OS ANJOS DA GUARDA.


Como resultado do trabalho, que os militares da GNR desenvolvem no âmbito programa Apoio 65 – Idosos em Segurança, sinalizaram este ano 549 idosos em situação de risco, às instituições da rede de apoio a idosos, por carecerem de apoio social e acompanhamento médico, tendo esse fato sido notícia em vários OCS.

Roger Copeto_800x800Rogério Copeto

Tenente-Coronel da GNR, Mestre em Direito e Segurança e Auditor de Segurança Interna

 Chefe da Divisão de Ensino/ Comando da Doutrina e Formação

Num artigo para o jornal Publico, publicado na edição de 16 de março de 2014, tive oportunidade de referir que os militares da GNR que operacionalizam em todo o país o programa “Idosos em Segurança” eram autênticos “Anjos da Guarda” dos idosos, a quem garantem apoio e protecção, como mais nenhuma instituição o faz, todos os dias do ano.

De acordo com o Relatório Anual de Segurança Interna de 2014 são 311 os militares da GNR que pertencendo às Secções de Programas Especiais e que organicamente dependem dos Destacamentos Territoriais, cumprem a sua missão apoiando os mais velhos.

Apesar do trabalho destes militares se realizar todo o ano, é neste mês de outubro que têm maior visibilidade, por ser considerado o mês do idoso, porque se assinala no primeiro dia do mês, o “Dia Internacional do Idoso”.

Por isso a GNR todos os anos lança por esta altura a “Operação Idosos em Segurança, com o objectivo de informar e sensibilizar os idosos sobre os procedimentos de segurança a observar em situações de assalto ou burla, bem como a forma como poderão denunciar os crimes de que são vítimas, sendo para isso disponibilizados os números de telefone diretos dos militares da GNR, criando-se assim laços de confiança entre a GNR, os idosos e os seus familiares.

Esta operação tem em conta a especial vulnerabilidade da população idosa à criminalidade, sendo desenvolvida pela GNR desde 1996, no âmbito do policiamento de proximidade, que assenta numa filosofia de atuação policial preventiva e de sensibilização dirigida aos idosos e à comunidade onde se integram.

Ainda neste âmbito do apoio ao idosos a GNR realiza todos os anos a “Operação Censos Sénior 2015”, direcionada aos idosos que vivem sozinhos e/ou isolados, tendo no presente ano sido identificados 39.216 idosos a viver sozinhos ou isolados e que por isso se encontram numa situação de vulnerabilidade considerando as suas limitações físicas e/ou psicológicas, merecendo assim por parte da GNR de um acompanhamento assíduo e frequente, colmatando ainda todas as suas necessidades, encaminhando-as para as instituições da rede de apoio.

Fruto desse trabalho que a GNR desenvolve junto dos mais vulneráveis, verificou-se a existência de pessoas portadoras de deficiência, que por motivos diversos permanecem grande parte do dia sozinhos e/ou isolados nas suas residências sem apoios/cuidados continuados, e que pela sua dependência poderão ser considerados vulneráveis e alvo de ilícitos criminais, lançando por isso para o terreno no ano passado, o “Programa de Apoio a Pessoas com Deficiência”, visando a sensibilização deste público-alvo para procedimentos de segurança com o objectivo de evitar eventuais ilícitos criminais, como sejam o furto e roubo.

Mas sobre o policiamento de proximidade e sobre as actividades que a GNR desenvolve em apoio às populações mais vulneráveis, como são os idosos, já muito escrevi e por isso a intenção deste artigo, é louvar publicamente os 311 militares que dignificam diariamente a GNR, granjeando o carinho e a amizade da população que protegem e apoiam.

O trabalho que estes 311 militares da GNR desenvolvem no âmbito do policiamento de proximidade é revelador que todos eles possuem elevadas qualidades humanas e grande dedicação ao serviço, contribuindo para o prestígio da GNR, devido ao excelente e cordial relacionamento que mantêm com as populações, nomeadamente a população mais idosa.

Os 311 militares das Secções de Programas Especiais cumprem a sua missão sempre com o objectivo de contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas, com quem se relacionam, especialmente os mais frágeis, não raras vezes, indo muito além do que é a sua obrigação, sendo exemplo disso, as noticias que nos chegam ao conhecimento, da promoção de iniciativas de angariação de verbas para aquisição de ajudas técnicas, tais como camas articuladas, cadeiras de rodas e outras, que muito melhoram a qualidade de vida das pessoas que as recebem.

Assim, todos os anos estes militares para cumprirem a sua missão percorrem milhares de quilómetros nas estradas do país, para com frequência contactarem todos os idosos que têm à sua responsabilidade, quer residam em montes isolados, quer residam nos centros urbanos, assim como com as inúmeras instituições com quem a GNR se relaciona, sempre em prol das populações mais vulneráveis, recebendo de todos eles agradecimentos e elogios, que confirmam que os militares da GNR que desenvolvem a sua actividade no apoio e proteção aos mais vulneráveis são verdadeiros “Anjos da Guarda”.

Bem Hajam.


Share This Post On
970x90_logo