Odemira: Gang armado assaltou dois estabelecimentos em pouco mais de 15 minutos.


Em 15 minutos, mediante o uso de uma arma o grupo assaltou dois estabelecimentos de restauração no concelho de Odemira. Levaram dinheiro e telemóveis. A PJ investiga os roubos.

Um grupo composto por três indivíduos armados assaltou na noite de terça-feira, dois estabelecimento de restauração no concelho de Odemira, de onde levaram cerca de 1.400 euros em dinheiro e um telemóvel no valor de 1.200 euros. Inspetores do Departamento de Investigação Criminal de Portimão da PJ estão a investigar os roubos.

Nos dois assaltos o gang utilizou o mesmo modus-operandi. Um dos elementos fica no carro, dois entravam e pediam algo de comer ao empregado e “do nada”, um deles sacou de um pistola e o outro abria a caixa e levou o dinheiro.

O primeiro roubo ocorreu cerca das 21,00 horas, na localidade de Boavista de Pinheiros, aldeia que fica junto à EN120, que liga Odemira ao Algarve, quando os dois indivíduos, com máscaras na cara e sweatshirts com capuz a cobrir a cabeça e o resto do rosto, entraram num restaurante de kebab e pediram refeições.

Ato contínuo o mais alto sacou de uma pistola e ameaçou o dono do estabelecimento para lhes entregar o dinheiro. De seguida o outro indivíduo apoderou-se de 140 euros que estavam na caixa registadora e o telemóvel no valor de 1.200 euros.

Saídos do estabelecimento, pela EN 120 e depois pela EM500-2, o grupo dirigiu-se de imediato para Zambujeira do Mar, a cerca de 17 quilómetros e pouco mais de 15 minutos depois assaltaram uma pastelaria, onde repetiram a “operação”.

Num vídeo a que o LN teve acesso, é possível ver um jovem funcionário da pastelaria Mabi, a limpar um balcão, sem qualquer cliente no seu interior. Os dois homens entraram e de imediato, o mais alto sacou da arma, primeiro encontrou-a à cabeça do empregado e depois à barriga, obrigou-o a abrir a caixa.

Ato contínuo o segundo assaltante entrou dentro do balcão e depois da caixa registadora aberta, despejou todo o dinheiro que existia no seu interior para dentro de um saco plástico, ao que foi possível apurar, entre 1200/ 1300 euros. Antes de saírem, o portador da arma, voltou a ameaçar o empregado, obrigando a deitar no chão no interior do balcão, saindo ambos a correr, entrando na viatura que os aguardava, deixando a aldeia a grande velocidade, mas sem que ninguém se apercebesse do roubo.

Depois da GNR ter tomado conta das ocorrências, e face ao uso de armas de fogo, foi chamada a Polícia Judiciária, que passou a tutelar a investigação.

Teixeira Correia

(jornalista)


Share This Post On
970x90_logo