Beja: Inaugurado panel de azulejos en la escuela Mário Beirão.


El Día Nacional del Azulejo que se celebra hoy, está marcado por la inauguración de un panel de 488 Azulejos colocados en la fachada exterior de la entrada a la Escuela Mário Beirão, en Beja.

O pretexto foi a comemoração dos 500 anos da azulejaria em Beja, cidade que possui uma das mais ricas e conservadas coleções de azulejos do país, que esteve na origem da criação de um painel comemorativo para o espaço escolar e para a comunidade, por parte de professores e alunos do Curso de Educação e Formação (CEF) de Pintura e Decoração Cerâmica.

O CEF funciona desde 2017 na Escola Mário Beirão, en Beja, e a génese da sua criação visou dar uma resposta educativa a jovens com mais de 15 años de edad, cujo percurso escolar esta marcado pelo insucesso e por alguns comportamentos menos sociais.

Uma equipa que integra onze jovens estudantes, seis raparigas e cinco rapazes, que pela via do curso CEF querem concluir o nono ano, sob a coordenação de Maria Conduto, Jorge Simão e Simão Matos, três professores da área técnica e que criaram um grupo coesa e muito entregue à tarefa a que se propuseram. 6 Mayo, Dia Nacional do Azulejo, é inaugurado o painel que celebra os 500 anos da azulejaria em Beja e a celebração de uma efeméride, integrada na iniciativa SOS AZULEJO, que anualmente se assinala da Festa do Azulejo da Associação de Defesa do Património de Beja (ADPBeja).

O painel foi começado em outubro de 2019, data de início do ano letivo, mas a pandemia levou a interrupção do trabalho e inviabilizou a sua coleção o ano passado. Com a dimensão de 4 metros de ancho y 2,87 metros de altura, o painel é composto por 488 azulejos feitos em barro, numa perspetiva de valorizar a tradição secular do seu uso na região de Beja, está colocado na fachada exterior da portaria da Escola Mário Beirão, virada a sudoeste, num extenso espaço descoberto, com incidência de luz do sol poente.

“O desafio tem sido muito grande, mas os sucessos e reconhecimentos têm sido ainda maiores. O interesse dos alunos pela escola e pela atividades curriculares aumentou e que os deixa todos muito orgulhosos”, justificou o professor Jorge Simão, que acrescentou que alunos e professores “entregaram-se com grane dedicação a este desafio, que marcará para sempre, de forma positiva e a vida destes jovens envolvidos e lhes permita ter um futuro mais risonho”, concluiu feliz o docente.

Rafael Gonçalves, 17 años de edad, um dos alunos envolvidos no projeto mostrou-se orgulho, justificando que “um dia quando vier trazer os meus filhos à escola, é com orgulho que lhe digo: foi feito pelo pai”, sentimento partilhado por Sara Peralta, 16 años de edad, que ao princípio “não gosta nada disto. Sonho ser futebolistas, mas estou orgulhosa do que consegui fazer”, terminado.

O insucesso escolar fica bem patente nas palavras de Tiago Engana, 16 años de edad, que não poupa nas palavras: “de manhã quando me levantava, não gostava de via para a escola. Ahora, faço-o com muito gosto”, concluido.

A cor utilizada foi estudada ao pormenor para dar um bonito colorido a um edifício muito cinzento e ao mesmo tempo transmitir calor, energia e criação, valorizando assim o lema do Projeto Educativo: “Escola de valor que educa para valores com afeto”.

Além de criar uma importante dinâmica visual, o painel que reproduz vários períodos históricos de Beja, acima de tudo mostra as potencialidades técnicas e artísticas exploradas nas aulas do Curso de Educação e Formação.

Teixeira Correia

(periodista)


Compartir este mensaje en
970x90_logo