Aljustrel: Transaqua insolvente com mais de 17 milhões de dívidas.


Realiza-se hoje no Tribunal de Beja a assembleia de credores da Transaqua, podendo vir a ser discutido um plano para a recuperação da empresa, apresentado por um dos credores.

A TransaquaSociedade Ibérica de Tubagens, empresa que estava instalada na antiga fábrica de Associação de Beneficiários do Roxo, em Montes Velhos (Aljustrel) foi declarada insolvente no passado dia 18 de fevereiro e para trás deixou um passivo de 17.257.484,48€ a 117 credores, muitos dos quais da região.

A empresa que se dedicava entre outros ao fabrico, comercialização, montagem ou instalação de tais produtos, agregados e betão pronto, cujo conselho de Administração era composto pelo Sr. Mario Mijares Molia (Presidente) e Jose Pujante Escribano (Vogal), poderá ter na sócia Publiconstrói, que tem 1,43% do capital social, uma possível “tábua de salvação”, já que esta apresentou um plano para a recuperação da Transaqua que poderá ser analisada e votada hoje pelos credores.

Os cinco maiores credores são a LX Investment Partners II- 10 836 673,77 €, IAPMEI- 2 473 476,79 €, Transwater- 1 276 737,96 €, ADECCO Empresa de Trabalho Temporário- 360 397,47 € e a Caixa Geral de Depósitos, S.A.- 336 562,72 €. A sociedade apresenta ainda dívidas à Segurança Social no montante de 225 045.57 € à Autoridade Tributária no montante de 231 786.72€.

A Publiconstrói requereu suspendeu a liquidação da Transaqua, sustentando que deverão ser os credores a pronunciar-se sobre o plano de insolvência defendendo que este pode dar satisfação dos seus créditos.

 Teixeira Correia

(jornalista)

 


Share This Post On
970x90_logo