Vidigueira: Julgado por violência doméstica, homicídio na forma tentada e ameaça agravada.

Detido em 30 de janeiro em Vidigueira, e em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Beja, um indivíduo de 25 anos começa hoje a ser julgado no Tribunal de Beja.

Um indivíduo de 25 anos, residente em Vidigueira, começa hoje a ser julgado pelos crimes violência doméstica e homicídio qualificado na forma tentada, perpetrado com a sua companheira e mãe de um filho do casal e um crime de ameaça agravada, na forma consumada, cometido na pessoa de uma amiga da parceira.

De acordo com o despacho de acusação da Procuradoria do Ministério Público (MP) do Juízo de Cuba a que o Lidador Notícias (LN) teve acesso, a partir de 6 de setembro de 2017, data em começou a viver com a vítima e até 30 de janeiro, data em que foi detido, por influência da gestão de bebidas alcoólicas, o indivíduo inicio e aumentou atos de violência verbal e física contra a companheira.

O comportamento do individuo foi de tal forma violenta que além de cabeçadas, bofetadas, pontapés e outras maus tratos, chegou a regar a companheira com álcool, ameaçando puxar-lhe fogo com um isqueiro.

Numa noite de outubro de 2019, no decurso de uma feira em Beja, na frente de outros clientes de um estabelecimento de um dos espaços do certame, além das ofensas verbais, o arguido cuspiu na cara da companheira.

Na madrugada de 30 de janeiro do corrente ano, num bar da vila de Vidigueira, o individuo praticou atos contra a companheira e uma amiga desta que estiveram na origem da intervenção da GNR que originaram a sua detenção e a posterior determinação por um juiz de instrução criminal do Tribunal de Cuba, a ser colocado em prisão preventiva.

Agastado com o facto da companheira estar no bar, dirigiu-se a ela e aplicou-lhe um golpe conhecido como “mata-leão”, tendo a intervenção de um cliente evitado que a mulher fosse morta. Não contente, ainda lhe desferiu um pontapé nas costas e uma chapada.

Mas a amiga da vítima também não escapou. Foi culpabilizada pelo arguido se ser a causadora dos seus problemas e recordou-lhe de que já uma vez a ameaçara de que a mandava matar e que a altura certa poderia ser naquela noite.

A GNR foi chamada ao local e deteve o indivíduo, que se encontra em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Beja, sendo julgado perante um Coletivo de Juízes no Juízo Central Criminal de Beja.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo