(Atualização) Mértola: Mulher que caiu na enseada do Pulo do Lobo, resgatada sem vida.

(Actualização): A mulher que caiu na enseada do “Pulo do Lobo”, foi retirada do local sem vida. As operações de busca e resgate foram protagonizadas por uma equipa dos Bombeiros de Beja, que nada puderam fazer para salvar a mulher de 46 anos, natural do concelho de Mértola e residente na zona da Grande Lisboa. O óbito foi confirmado no local pelo médico da VMER e trasladado para o Gabinete Médico-Legal de Beja, pelos Bombeiros de Mértola.

MÉRTOLA- Pulo do Lobo-_800x800Notícia inicial: Uma mulher caiu na manhã deste domingo ao rio Guadiana, na enseada do “Pulo do Lobo”, que se situa no concelho de Mértola. Uma Equipa de Busca e Resgate dos Bombeiros de Beja, procedem ao salvamento. No local estão também os Bombeiros de Mértola, a VMER de Beja e a GNR.

De acordo com informações que o Lidador Notícias (LN) recolheu, a mulher encontrava-se no miradouro na margem direita do rio (foto tirada em 18 de maio de 2014, arquivo LN) quando caiu uma das gargantas, ficando presa num dos muitos buracos do local.

O alerta foi dado cerca das 12,00 horas, para socorrer uma mulher que se encontrava em “paragem cardiorrespiratória”, tendo sido deslocada uma ambulância dos Bombeiros de Mértola e a VMER do Hospital de Beja.

No local as equipas de socorro confrontaram-se com o difícil acesso ao local, tendo posteriormente sido acionada a Equipa de Busca e Resgate dos Bombeiros de Beja. As operações de resgate ainda decorrem desconhecendo-se o estado de saúde da mulher e os pormenores sobre as razões da queda e a sua identificação.

O ano passado, no dia 18 de maio, duas cidadãs espanholas que praticavam rappel nas escarpas do “Pulo do Lobo”, na enseada da Margem Esquerda do rio Guadiana, no concelho de Serpa, foram salvas por um helicóptero da Proteção Civil, depois de terem sido arrastadas pela corrente das águas, ficando depois presas nas rochas.

Elena, 33 anos e Rosa, 36 anos, faziam parte de um grupo de oito amigos, procedentes de Huelva, província da Andaluzia (Espanha), que subiam as escarpas do rio quando chegaram ao topo e procuraram nadar na zona onde a corrente é mais forte. A força da água levou a que as mulheres ficassem presas às cordas que as seguravam, caindo nos buracos das escarpas.

A cascata do Pulo do Lobo, é uma queda de água que se localiza a no rio Guadiana, a cerca de 18 quilómetros a norte de Mértola, sendo a mais alta a sul de Portugal.

O Pulo do Lobo é o mais dramático trecho do Guadiana, o local onde o “rio ferve entre paredes duríssimas, rugem as águas, espadanam, batem, refluem e vão roendo, um milímetro por século, por milénio, um nada na eternidade”, como escreveu José Saramago.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo