Cuba: Três militares agredidos em café. Quatro detidos de etnia cigana.

Três militares da GNR feridos por agressores em Cuba. Um foi transportado ao hospital. Quatro pessoas detidas, três homens e uma mulher.

Três militares da GNR foram agredidos, esta segunda-feira à noite, ao tentar acabar com uma altercação num café, em Cuba.

Os agressores, três homens e uma mulher, todos de etnia cigana, foram detidos após a chegada de reforços do destacamento de intervenção do Comando de Beja da GNR.

Segundo apurou o Lidador Notícias (LN), as pessoas estariam a causar distúrbios no café Estrela, em Cuba, quando a GNR foi alertada, cerca das 20.30 horas desta segunda-feira.

O primeiro elemento a chegar ao local, um GNR que mora perto do local, tentou serenar os ânimos e foi agredido pelos três homens. Uma patrulha da Guarda, que entretanto foi chamada, também foi vítima dos agressores, que só foram detidos após a chegada do destacamento de intervenção.

As agressões causaram ferimentos aos militares, um dos quais, de 40 anos, precisou de tratamento hospitalar. Os três homens e a mulher que pertencerão a uma mesma família, estão detidos no Posto Territorial de Cuba, onde prestam declarações. Depois de encerrada inquirição será contatado(a) o Procurador(a) do Ministério Público de Cuba, para se saber se os causadores da altercação serão libertados ou ficarão detidos para serem amanhã presentes a um juiz de Instrução Criminal.

A ocorrência motivou a deslocação de cerca de 50 militares, dos postos de Beja, Cuba, Vidigueira, do Destacamento de Intervenção e do Núcleo de Investigação Criminal.

O estabelecimento está a ser guardado por quatro elementos armados da GNR, que colocou quatro viaturas, três da intervenção e um da cinotecnia a circular pela vila de Cuba, eventualmente para prevenir manifestações de apoio dos familiares dos detidos.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo