Beja: Colisão faz nove feridos, um muito grave. Médico da Urgência sofreu enfarte.

Uma colisão entre dois veículos ligeiros, um com um militar e outro com trabalhadores africanos provocou nove feridos, um em estado muito grave. Um médico do Serviço de Urgência do Hospital de Beja sofreu enfarte quando recebia os feridos. A ULSBA refere que o clínico se sentiu mal antes da chegada dos acidentados.

Um médico do Serviço de Urgência (SU) do Hospital de Beja sofreu esta manhã um enfarte do miocárdio quando davam entrada naquela unidade os nove feridos da colisão ocorrida no IP 2. Ao que foi possível apurar o clínico não aguentou a pressão da entrada de todos os feridos no SU.

Depois de estabilizado, o clínico foi transportado para o Hospital do Espírito Santo, em Évora, por uma das ambulâncias dos Bombeiros de Beja que tinha transportado uma das vítimas do acidente do IP2.

Segundo foi possível apurar o médico terá cerca de 50 anos, é de nacionalidade estrangeira, é clínico de primeiro atendimento, em regime de contrato de prestação de serviços.

ATUALIZAÇÃO: O Gabinete de Relações Públicas da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) referiu que o médico se sentiu mal antes da chegada nos feridos e que a transferência para o Hospital de Évora não se deveu à falta de médicos cardiologistas.

A colisão envolveu dois veículos ligeiros de passageiros, provocou nove feridos, um muito grave e oito ligeiros, todos do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 20 e os 53 anos, que foram todos transportados para o Serviço de Urgência do Hospital de Beja.

O alerta do acidente foi dado às 06,30 horas, e aconteceu ao quilómetro 330 do Itinerário Principal (IP) 2, a cerca de 3 quilómetros da aldeia de São Matias, no concelho de Beja, desconhecendo-se as razões que estiveram na origem da colisão, mas na altura a zona estava debaixo de denso nevoeiro.

A violência da colisão foi de tal ordem que as duas viaturas ficaram viradas para o mesmo sentido, sul/norte, e havia peças dos dois veículos espalhadas por mais de 100 metros da via rodoviária.

Num Renault Megane de dois lugares, que seguia no sentido norte/sul, no troço Vidigueira-Beja, viajava o condutor, ao que foi possível apurar viajava um militar da Força Aérea, que teria como destino a Base Aérea 11, em Beja.

No outro veículo, um furgão Mercedes que seguia no sentido contrário, transportava oito cidadãos africanos, trabalhadores agrícolas, residentes em Beja, tinham como destino uma herdade em Vidigueira, para proceder à vindima.

O trânsito no IP2 esteve interrompido nos dois sentidos durante cerca de um a hora, para que os fétidos fossem transportados para o hospital e os bombeiros procedessem à limpeza da via.

No local estiveram 28 operacionais dos Bombeiros Voluntários de Beja, Cuba e Vidigueira, Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Hospital de Beja, GNR e Estradas da Planície, apoiados por 13 viaturas.

Militares do Núcleo de Investigação de Crimes em Acidentes de Viação da GNR do Destacamento de Trânsito de Beja, foram chamados para fazer perícias aos veículos a fim de determinarem as causas da violenta colisão.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo