Aljustrel: Acidente mortal no Complexo Mineiro. Segunda morte num mês.

Um trabalhador, natural de Milhundos, concelho de Penafiel, morreu hoje no Complexo Mineiro da Almina, onde entre outras funciona a lavaria. O homem trabalhava para uma subempreiteira, com sede naquela localidade nortenha, morreu no local.

Um homem, de 35 anos, morreu na tarde desta quinta-feira, no Complexo Mineiro da Almina, em Aljustrel, onde entre outros funciona a lavaria de minerais, quando abastecia um depósito de água, conhecido como Joper, e foi apanhado pela tomada de força do trator.

O acidente ocorreu às 14,23 horas, quando Nuno Pinto, natural Milhundos, no concelho de Penafiel, trabalhador da empresa Biniter-Aluguer de Máquinas de Terraplagens, Lda, com sede naquela localidade, foi trucidado pelo veio mecânico que transmite a propulsão entre o trator e o Joper.

Apesar do rápido socorro, o trabalhador da Biniter, empresa subcontratada pela Almina, não resistiu aos ferimentos e morreu no local, para onde foram mobilizados 10 operacionais dos Bombeiros de Aljustrel, viatura médica de emergência e reanimação (VMER) do Hospital de Beja, viatura de suporte imediato de vida (SIV) de Castro Verde, GNR de Aljustrel, apoiados por cinco veículos.

A Autoridade para as Condições no Trabalho (ACT foi mobilizada para o local e abriu um inquérito para apurar as causas do acidente. O corpo de Nuno Pinto vai depois ser transportado para o Gabinete Médico-Legal de Beja, onde vai ser autopsiado.

Esta foi a segunda morte em Aljustrel, no decurso do corrente ano, depois de no passado dia 11 de fevereiro, Joaquim Guerreiro, de 46 anos, ter falecido quando foi arrastado pela viatura que conduzia e caiu num fosso, no interior da Mina de Feitais.

Outros casos

20 maio de 2015: Uma queda de um tapete rolante, de uma altura de 190 metros, esteve na origem a morte de Joaquim Gomes, de 49 anos, residente em Odivelas, concelho de Ferreira do Alentejo.

6 de outubro de 2017: Um homem, de 48 anos, ficou gravemente ferido na sequência de uma colisão entre um dumper (camião basculante) e uma carrinha de caixa aberta, a 200 metros de profundidade, deixando o seu condutor encarcerado. Ficou politraumatizado.

Jacinto Anacleto (Dirigente do Sindicato Trabalhadores Industria Mineira/ STIM)

“Continua-se a morrer em Aljustrel e parece que ninguém quer fazer nada. Continuamos a denunciar a falta de segurança e a exigir que a ACT atue de forma mais ativa. Os trabalhadores têm medo de perder o emprego e têm que se calar. Em menos de um mês temos dois mortos em Aljustrel”.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo