TECNOCRÓNICA (Opinião de Ademar Dias): videojogos, streaming e muita música.

Um estudo realizado pela Wave Maker, para o Live Panel 2018, calculou o tempo que as pessoas gastam, diariamente, a jogar videojogos.

Ademar Dias

Jornalista

Rádio Horizonte Algarve/ Tavira

O estudo teve como base cidadãos com idades compreendidas entre os 18 e 65 anos, representando uma amostra total de 2,8 milhões de indivíduos, oriundos de vários países, entre os quais Portugal.

Segundo o estudo, a média europeia do tempo passado a jogar videojogos é de 22 minutos. Reino Unido e Suécia lideram com 28 minutos. A Espanha completa o trio da frente com uma média de 25 minutos.

Portugal é dos países que menos tempo dispensa a jogar, tendo uma média de 18 minutos. Apenas a Holanda está abaixo dos portugueses com 17 minutos de média.

O estudo reforça ainda que a faixa etária dos 18 a 24 anos é a que passa mais tempo a jogar por dia, com 43 minutos de média.

De acordo com o Barómetro de Telecomunicações da Marktest, no trimestre móvel de agosto de 2019, existiam um milhão e 509 mil utilizadores de serviços de streaming em Portugal, valor que corresponde a 16,8% dos residentes em Portugal continental com 15 e mais anos.

Por idades o contraste é grande. Enquanto 39,4% dos mais jovens referem ser utilizadores, apenas 1,1% dos mais velhos assumem tal papel.

Da mesma forma, entre as classes sociais os valores variam de um máximo de 33,5% entre as classes mais altas e um mínimo de 10,4% nas classes mais baixas, indicam os dados da Marktest.

O Barómetro de Telecomunicações mostra ainda que, entre os subscritores de serviços de streaming a preferência vai “destacadamente” para o Netflix.

Os leitores da revista Planet Rock elegeram os melhores solos de guitarra da história do rock.

A lista, de 40 solos, é liderada por David Gilmour e pelo seu solo em ‘Comfortably Numb’, um dos grandes temas clássicos dos Pink Floyd.

Em segundo lugar está ‘Free Bird’, dos Lynyrd Skynyrd, com o terceiro posto a ser ocupado por ‘Blackbird’, dos Alter Bridge.

A lista conta com nomes habituais como Guns N’ Roses, Led Zeppelin e Queen, mas por lá está também um português, Nuno Bettencourt, cujo solo em ‘Get the Funk Out’, dos Extreme, foi o 22º mais votado.

Veja a lista completa em https://www.planetrock.com/news/rock-news/the-top-40-greatest-guitar-solos-ever/

O Spotify deu a conhecer as 20 canções mais escutadas na plataforma ao longo deste verão.

Os dados correspondem ao período entre o dia 1 de junho e o dia 20 de agosto, e dizem respeito a todo o mundo.

Em primeiro lugar está ‘Señorita’, colaboração entre o luso-canadiano Shawn Mendes e Camila Cabello, estando ‘I Don’t Care’, de Ed Sheeran e Justin Bieber, em segundo. No terceiro lugar surge ‘Bad Guy’, de Billie Eilish.

Lil Nas X, Post Malone, Drake e Katy Perry também surgem na lista, a qual aqui mostramos, ordenada do primeiro para o último lugar: 1. Camila Cabello and Shawn Mendes – ‘Señorita’; 2. Ed Sheeran and Justin Bieber – ‘I Don’t Care’; 3. Billie Eilish – ‘Bad Guy’; 4. Lil Nas X and Billy Ray Cyrus – ‘Old Town Road’; 5. Bad Bunny and Tainy – ‘Callaita’; 6. Ed Sheeran and Khalid – ‘Beautiful People’; 7. Darell and Sech – ‘Otro Trago’; 8. Lewis Capaldi – ‘Someone You Loved’; 9. Post Malone and Young Thug – ‘Goodbyes’; 10. Post Malone and Swae Lee – ‘Sunflower’; 11. Lil Tecca – “Ransom’; 12. Bad Bunny, Daddy Yankee, and Lunay – ‘Soltera – Remix’; 13. Shawn Mendes – ‘If I Can’t Have You’; 14. Drake and Rick Ross – ‘Money In The Grave’; 15. Daddy Yankee and Snow – ‘Con Calma’; 16. Goodboys and MEDUZA – ‘Piece Of Your Heart’; 17. Lizzo – ‘Truth Hurts’; 18. Katy Perry – ‘Never Really Over’; 19. DJ Snake, J Balvin and Tyga – ‘Loco Contigo’; e 20. Lil Nas X – ‘Panini’.

No cinema, destaque para a estreia de “IT Capítulo 2”, película que conta com Finn Wolfhard, Bill Skarsgård, James McAvoy, Jessica Chastain e Jay Ryan nos principais papéis.

Trata-se de um filme de terror que continua a história começada em “IT” (2017), novamente realizado por Andy Muschietti, segundo um argumento de Chase Palmer, Cary Fukunaga e Gary Dauberman. O enredo, sobre as vulnerabilidades e medos da infância, tem por base a segunda parte da obra homónima escrita, em 1986, por Stephen King.

Trailer em https://www.youtube.com/watch?v=Fop5u-6pPTc

Share This Post On
970x90_logo