TECNOCRÓNICA (Opinião de Ademar Dias): coronavírus, COVID-19 e mais do mesmo.

Ficar em casa é a medida número um para combater a pandemia de COVID-19.

E como o dever nos pede que fiquemos em casa, o site do SNS24 permite agora fazer auto diagnóstico rápido do novo coronavírus.

Ainda assim é assumido que se tiver algum tipo de sintomas as ordens são para ficar em casa e ligar para a Saúde 24 (número 808 24 24 24). Mas pode sempre realizar um auto diagnóstico… sabendo que este não é uma ferramenta de diagnóstico clínico, não é uma consulta médica e não substitui os cuidados de saúde de um profissional.

No Avaliador de Sintomas o utilizador apenas tem de introduzir alguma informação e a ferramenta faz o resto.

No final recebe um relatório que indica a possibilidade, ou não, de estar infetado por coronavírus (COVID-19).

Este é o link: https://www.sns24.gov.pt/avaliar-sintomas/?intro-sc=covid-19

De quarentena ou em auto-isolamento, de uma forma ou de outra, por estarmos mais tempo em casa afastados de amigos e família, muitos de nós têm, certamente, compensado esse distanciamento com as redes sociais, apps de mensagens e vídeochamadas.

Segundo o site CNet subiu o número de videochamadas registadas pelo Facebook, com um aumento de 70% nas videochamadas registadas até ao final da semana passada, com o tempo passado em cada chamada a ter duplicado. A tendência é comum também ao WhatsApp, aplicação que registou o dobro das videochamadas face ao ano passado.

A par deste maior fluxo de videochamadas, os gigantes tecnológicas estão a procurar combater a disseminação de ‘fake news’ e a promover conteúdo e informação relevante que ajude os internautas a manterem-se atualizados em relação à Covid-19.

E é este mesmo aumento de fluxo que levou à aprovação, esta segunda-feira, dia 23 de março, do decreto-lei nº10-D/2020 que dá permissão às operadoras de comunicação em Portugal de bloquear serviços online – streaming como a Netflix e a HBO, assim como jogos online – em caso de necessidade.

A medida pretende prevenir a manutenção de serviços críticos do Estado, impedindo que o facto de o número de internautas mais elevado que o normal possa vir a prejudicar o funcionamento dos serviços públicos. Assim, as empresas “devem dar prioridade à continuidade da prestação dos serviços críticos”.

“As empresas que oferecem redes de comunicações públicas ou serviços de comunicações eletrónicas acessíveis ao público ficam autorizadas a executar outras medidas de gestão de rede e de tráfego, nomeadamente de bloqueio, abrandamento, alteração, restrição ou degradação de conteúdos, relativamente a aplicações ou serviços específicos ou categorias específicas dos mesmos, que sejam estritamente necessárias para atingir os objetivos prosseguidos pelo presente decreto-lei”, pode ler-se no decreto-lei.

No mesmo sentido, a Netflix vai reduzir temporariamente a qualidade do streaming na Europa temporariamente

A empresa concordou, perante a União Europeia, em reduzir a qualidade de streaming na Europa durante 30 dias para reduzir o tráfego de Internet.

“A Netflix decidiu reduzir os bit rates em todos os streams da Europa durante 30 dias. (…) Estimamos que isto vai reduzir o tráfego da Netflix nas redes europeias em cerca de 25 porcento, assegurando também uma boa qualidade de serviço para os nossos subscritores”, disse um representante da Netflix ao TechCrunch.

O bit rate é o que determina o tamanho e a qualidade de vídeo / áudio em ficheiros. Geralmente, quanto maior for o bit rate, maior é a qualidade do vídeo. No caso da Netflix, quanto maior for a qualidade do vídeo, mais tráfego gasta.

E nos videojogos, os mais recentes números de utilização do Steam mostram que os recordes de utilizadores em simultâneo têm estado a ser constantemente batidos e ultrapassados. A informação agora revelada mostra que ao todo foram 22 milhões de utilizadores em simultâneo.

Apesar de todos os problemas que este isolamento obrigatório traz, estes são números excelentes para serviços com o Steam, que assim atraem mais utilizadores e conseguem garantir a ocupação que muitos precisam.

No fundo, desta forma, os videojogos comprovam que são um excelente aliado na luta contra o novo coronavírus, o COVID-19, nomeadamente pela razão simples de estarmos em casa para jogar.

Fique em casa!

Share This Post On
970x90_logo