Serpa: Treinador da equipa de futebol acusa diretor do clube de incentivar ao doping.

Em Serpa, o “mundo” do futebol está em rebuliço, depois do treinador da equipa sénior do F.C.Serpa, ter saído e acusado um diretor de ter incentivado ao uso do doping. O presidente da Associação de Futebol de Beja enviou o caso para o Conselho de Disciplina.

José Luís Prazeres, treinador do Futebol Clube de Serpa (FCS), acusou um elemento da direção do emblema da “Cidade Branca” de incentivar ao uso de doping para um jogo a disputar no sábado no Estádio 25 de Abril, em Serpa, relativo às meias-finais da Taça de Honra da Associação de Futebol de Beja (AFB).

Em declarações a uma rádio local de Beja, “Zé Luís Arake”, como é conhecido no mundo do futebol, acusou Tó Zé Belinha, diretor da Comissão Administrativa do Serpa, de ter “pedido para a equipa jogar drogada no sábado na meia-final da Taça de Honra. A equipa tinha que tomar bombas”, sustentou.

As acusações de incentivo ao doping vêm por arrasto ao facto de os novos dirigentes não terem liquidado “quatro meses de vencimentos em atraso à equipa técnica e três meses aos jogadores”, justificou o treinador. Com “Arake” saíram o seu adjunto Luís Carrega e treze jogadores, tendo permanecido no clube um adjunto e sete jogadores, naturais de Serpa.

Contato pelo Lidador Notícias (LN), gentilmente o treinador referiu que “escuso-me a fazer qualquer outro comentário sobre o que foi dito” concluiu.

Por parte da Comissão Administrativa do Futebol Clube de Serpa, o silêncio é a palavra de ordem, devendo haver uma reação depois de disputa a partida das meias-finais ou da final, caso a equipa serpense derrote o Clube Desportivo de Almodôvar no jogo de sábado.

Para obviar a falta dos jogadores que deixaram a equipa, os dirigentes do emblema serpense, que quando foi fundado era filial do F.C.Porto e equipava de azul e branco, contatou vários antigos jogadores, que nos últimos dois anos tinham deixado de representar o clube, para formalizarem a inscrição e a equipa marcar presença na “Final Four da Taça de Honra”.

Ouvido pelo LN, Pedro Xavier, presidente da Direção da Associação de Futebol de Beja, referiu que “pedidos as declarações do treinador e remetemos toda a matéria para o Conselho de Disciplina que vai instaurar o competente processo disciplinar e apurar o que há de verdade. Quanto ao jogo de sábado, o caso não tem qualquer implicação e vai decorrer normalmente”, concluiu.

José Luís Prazeres, de 44 anos, começou como futebolista em 1994 no Cabeça Gorda, concelho de Beja, tendo entre 1997 e 1999, jogado no Sport Comércio e Salgueiros, quando a equipa era treinado pela dupla Carlos Manuel/ Francisco Agatão. Depois rumou ao Campomaiorense, tendo também jogado do Fafe, Torcatense e Cabeceirense e muitos emblemas do distrito de Beja.

Em 2014 enveredou pela carreira de treinador, tendo começado no Salvadense (Beja), Desportivo de Beja e Cabeça Gorda, onde em 2016/17 se sagrou Campeão Distrital da 2ª Divisão da A.F.Beja.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo