Serpa: Câmara Municipal preocupada com falta de médico de família em Pias

A Câmara Municipal de Serpa está preocupada com a não substituição do médico de família no Centro de Saúde de Pias. São 1447 utentes que, desde maio, não têm acesso a cuidados básicos de saúde.

Assim que a Câmara teve conhecimento da situação enviou um ofício ao Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA), solicitando esclarecimentos com carater de urgência, mas até ao momento não houve resposta.

A Câmara foi informada pela Junta de Freguesia de Pias, no dia 13 de junho, num ofício dando conta de que não havia médico de família, na sequência da aposentação da médica que acompanhava 1 447 doentes.

Ao que o Município apurou, esta médica não foi substituída, pelo que os utentes estão sem médico de família, sem consultas médicas e sem que os seus exames já realizados sejam vistos por um profissional. Há inclusivamente confirmação de que as grávidas de Pias não serão acompanhadas na localidade.

A autarquia enviou, no dia 19 de junho, um oficio dirigido ao Conselho de Administração da ULSBA, solicitando esclarecimentos, ao qual ainda não teve resposta.

Já em junho, no boletim municipal “Serpa Informação”, foi noticiada a preocupação com a redução considerável de profissionais de saúde em Serpa e no distrito. A situação toma agora maiores proporções devido à aposentação de uma médica, mas o problema tem-se agravado, de uma forma geral com a diminuição do número de trabalhadores, e em particular pela falta de investimento no Serviço Nacional de Saúde (SNS).

A política desenvolvida pelos sucessivos governos tem promovido entidades privadas em detrimento do SNS, exemplo disso foi a passagem do Hospital de São Paulo, em Serpa, para o privado, situação à qual a população não ficou alheia, com a realização de diversas manifestações de desagrado promovidas pela comissão de utentes de saúde e serviços público, apoiadas pelo Município.

Apesar de não ser da sua competência, a Câmara Municipal tem trabalhado para encontrar soluções de modo a levar o atendimento médico às zonas de menor densidade populacional e de mais difícil acesso. Exemplo deste esforço é a cedência de espaços para o atendimento de utentes em Vales Mortos, Santa Iria e A-do-Pinto e também as obras de manutenção em Pias e Serpa. E agora, exigindo da ULSBA o esclarecimento da situação do Centro de Saúde de Pias.

Share This Post On
970x90_logo