Your SEO optimized title

Política: Pedro do Carmo membro efetivo da Comissão Eventual de Acompanhamento do Processo de Definição da “Estratégia Portugal 2030”

Por indicação da liderança do Grupo Parlamentar do Partido Socialista, Pedro do Carmo, deputado eleito pelo Círculo de Beja, tomou posse como membro efetivo da Comissão Parlamentar Eventual de Acompanhamento do Processo de Definição da “Estratégia Portugal 2030”.

Num documento dirigido aos alentejanos, o deputado socialista refere que “a União Europeia precisa de se sintonizar com o pulsar dos seus Povos e das suas Regiões. Em respeito pela diversidade e pelo sonho da coesão, é fundamental dar expressão comunitária ao Mundo Rural, nas suas opções políticas e nos instrumentos de gestão e de financiamento potencialmente geradores de bem-estar, de riqueza, de desenvolvimento e de reforço das marcas de identidade.

É essa sintonia da construção europeia com as realidades regionais que é preciso restaurar como resposta para as pessoas, para os territórios e antídoto para os populismos, os nacionalismos e os extremismos.

A Europa tem de ser sinónimo de paz, de coesão e de desenvolvimento, sendo o Mundo Rural um dos seus pilares.

Com o atual quadro Comunitário Portugal 2020 em velocidade de cruzeiro, este será um grupo de trabalho essencial para discutir a estratégia de aplicação do próximo quadro comunitário, corrigindo os erros cometidos no vigente, por exemplo, ao excluir do financiamento algumas necessidades básicas para o Mundo Rural, e a procurando consagrar respostas para as realidades das nossas terras, das espécies autóctones à desertificação, aos pressupostos de afirmação do potencial produtivo, à sustentabilidade ou às alterações climáticas.

 Como alentejano tudo irei fazer para que as necessidades da região se façam ouvir e possam ter expressão nas opções políticas para o futuro em Portugal e na Europa.

É preciso também aqui dar expressão a um sentido de valorização do Interior e do Mundo Rural que, sabendo ser impossível resolver em cinco ou dez anos o que não foi feito em décadas, sabe marcar um caminho de sentido único, na concretização de soluções para melhorar a vida das pessoas, para responder aos desafios estruturais e para valorizar os territórios do Interior como ativos estratégicos de afirmação de Portugal e da Europa, na sua diversidade.

A próxima década será decisiva para o progresso do Alentejo e os fundos comunitários serão essenciais para alavancar esse progresso.

A Direção do Grupo Parlamentar do PS, consciente da relevância deste desafio de desenvolvimento, confiou-me a defesa dos interesses do Alentejo. Com proximidade à Região, sentido de missão e de responsabilidade, tudo farei para ser essa voz em defesa do Alentejo”.

Share This Post On