Ovibeja: “Marcelo e Costa devolveram estabilidade ao país”, defendeu Ana Catarina Mendes.

Os socialistas Ana Catarina Mendes, secretária-geral adjunto e Pedro Marques, ex-ministro e cabeça de lista às Eleições Europeias, visitaram esta tarde a Ovibeja. “Sinto-me de consciência tranquila em todos os investimentos que puderam avançar na região, por minha decisão e do Governo que integrei”, disse o ex.ministro do Planeamento e das Infraestruturas.

“A apreciação que faço do exercício de mandato do Presidente da República é muito positivo” disse esta tarde Ana Catarina Mendes, em Beja, à margem da visita à Ovibeja, considerando que “quer António Costa, como Primeiro-ministro, que Marcelo Rebelo de Sousa, como Presidente da República, tem devolvido estabilidade ao país”, situação que a secretária-geral adjunta do Partido Socialista (PS) considerou que essa estabilidade “confere confiança às pessoas para acreditarem nas instituições, nomeadamente no Parlamento e no Governo”, rematou.

A acompanha a número dois do PS estava Pedro Marques, ex-ministro do Planeamento e das Infraestruturas e, cabeça de lista do “partido da rosa” às Eleições Europeias de 26 de maio próximo, figura muito contestada nos últimos tempos no distrito de Beja, face à decisão de excluir o aeroporto de Beja de qualquer possibilidade de ser alternativa ao aeroporto Humberto Delgado, em prol da Base Aérea do Montijo.

Quando questionado sobre o que podia fazer pela região em Bruxelas, Pedro Marques falou da agricultura e da importância “da continuação de um Programa de Regadio, porque Alqueva foi esquecido pelo anterior Governo e a ministra Assunção Cristas, quanto a mais 50 mil hectares de regadio”, recordando também a necessidade de “trabalhar para implementar a maior reforma florestal de há muitos anos em Portugal”, justificou.

Quanto à última sondagem que deixa o PS e PSD iguais, o candidato socialista, sustentou que um dos grandes combates “é a abstenção. É preciso levar as pessoas a votar”, acrescentando que “queremos fazer na Europa o que fizemos bem em Portugal. Criámos 350 mil postos de trabalho, arrancámos 180 mil à pobreza e temos as contas certas”, sustentando que isso lava a que o PS esteja à frente em todas as sondagens.

Questionado pelos constantes pedidos do CDS e de Assunção Cristas para que os portugueses penalizem o PS nas próximas eleições, se a líder centrista se deveria demitir caso tal não sucedesse “isso deve ser perguntado à líder do CDS. Acho que os portugueses devem dar um voto de confiança a quem garantiu emprego, tirou gente da pobreza e ajustou as contas. Precisamos de governos que façam a gestão de fundos comunitários e que não percam 20 milhões de euros, como fez o Governo PSD/ CDS”, rematou.

“Sinto-me de consciência tranquila em todos os investimentos que puderam avançar na região, por minha decisão e do Governo que integrei. Eletrificar a linha férrea e trazer o IP8 até Beja, são decisões que tomei enquanto ministro”, disse Pedro Marques como resposta às muitas críticas que surgido nas redes sociais, por cidadãos da região, que hoje apareceram na Ovibeja para dizer de viva voz o que pensavam ao ex-ministro do Planeamento e das Infraestruturas.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo