Your SEO optimized title

Ourique: Água de Alqueva vai chegar à Barragem do Monte da Rocha.

Governo garante empréstimo de 260 milhões de euros do Banco Europeu de Investimentos para reforçar a aposta no regadio. Água deverá chegar à Barragem do Monte da Rocha, em Ourique.

No quadro das audições parlamentares do Orçamento de Estado para 2018, o Ministro da Agricultura, Florestas e do Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, acaba de confirmar em plenário que ainda este mês será celebrado um contrato de empréstimo de 260 milhões de euros com o Banco Europeu de Investimentos para reforçar a aposta no regadio, no armazenamento de água e no uso eficiente deste bem natural fundamental para a vida humana, a fauna e a flora.

Após meses de trabalho e de negociações, o governo do Partido Socialista consegue concretizar a obtenção de recursos financeiros para aumentar a área de regadio do Alqueva em mais 50 mil hectares até 2022.

Em comunicado, o deputado Pedro do Carmo, eleito pelo PS diz tratar-se de uma boa notícia para o Baixo Alentejo, para os agricultores e produtores e para ambição de dar mais futuro ao nosso Mundo Rural, a sustentabilidade do fornecimento de água para o consumo humano nos municípios de Castro Verde, Almodôvar, Ourique e parte dos municípios de Odemira e Mértola,  para a região, mas é também para os municípios do sul do Baixo Alentejo na medida em que neste impulso estrutural e reformador do governo está contemplada a ligação da água do Alqueva da Barragem do Roxo à Barragem do Monte da Rocha.

Esta ligação decisiva para a sustentabilidade e para a ampliação da capacidade produtiva desses territórios está contemplada no Plano Nacional de Regadios através de um investimento de 14 milhões de euros.

Num quadro de grande dificuldade para a região por via da falta de água e da seca que tem vindo a manifestar-se, esta é uma iniciativa que vem recuperar tempo perdido por outros na resolução de problemas estruturais do nosso território e é um contributo importante para a construção de um futuro sustentável com boa utilização dos recursos naturais, do armazenamento ao uso eficiente.

Uma vez mais, fica provado que o quadro de complexidade herdado, com baixa execução de fundos comunitários, ausência de financiamento de financiamento para concretizar as mudanças estruturais fundamentais como a ligação da Barragem do Roxo à Barragem da Rocha e muita complexidade nos mecanismos de resposta para a capacidade produtiva, continua a ser superado.

A viabilização financeira do projeto da ligação da Barragem do Roxo à Rocha e a consequente chegada da água do Alqueva à ao sul do Baixo Alentejo é uma excelente notícia que a todos deve mobilizar para a afirmação do nosso Mundo Rural e das marcas da nossa identidade.

Depois de na semana passada terem sido confirmadas respostas para a ferrovia, esta semana são confirmadas soluções para o armazenamento e uso eficiente da água, no quadro da aposta do governo para o reforço do regadio e da boa utilização dos recursos naturais.

Share This Post On