Mértola: Centro tem novas formas de conhecer o lince-ibérico no Baixo Alentejo.

O Centro de Interpretação e Observação do Lince-ibérico é uma das novidades em Mértola, onde se tem conseguido salvar este felino da extinção em Portugal.

Chama-se Centro de Interpretação e Observação do Lince-Ibérico, fica situado em São João dos Caldeireiros, perto de Mértola, e é a mais recente iniciativa que permite descobrir, conhecer melhor e ajudar a preservar esta espécie, que tem vindo a ser salva do perigo de extinção em território português.

Uma missão que tem sido levada a cabo pela Associação de Defesa do Património de Mértola (ADPM), através do seu projeto “Por Terras de Lince-ibérico”, cofinanciada pelo Turismo de Portugal e com o apoio do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, do Município de Serpa e juntas de freguesia de Alcaria Ruiva e São João dos Caldeireiros.

Neste novo centro interpretativo, que foi inaugurado em março mas que ganha agora novo fôlego, naturalmente, no pós-pandemia, conta com várias informações sobre este felino e seu habitat, podendo até contemplar-se a paisagem panorâmica em que foi libertado, em 2014, o primeiro casal de linces, Katmandu e Jacarandá, num dos esforços para salvar a espécie da extinção nesta zona do Vale do Guadiana. Hoje, há 109 linces-ibéricos a viver livremente na natureza em Portugal.

O projeto “Por Terras de Lince-ibérico” contempla ainda outras ações, que podem ser usufruídas em família. A começar pela criação de uma rota-âncora no território deste animal: um conjunto de quatro percursos públicos pelos concelhos de Mértola e Serpa, com elevado potencial de avistamento da espécie.

A ADPM levou ainda a cabo a sinalização do território visitável, com placas e painéis informativos, e aposta também numa exposição no Centro de Interpretação da Amendoeira da Serra, onde se pode conhecer melhor o felino e a sua presença no Vale do Guadiana.

Share This Post On
970x90_logo