ITM 2017: Beja na 245º posição do ranking de transparência municipal liderado por Alfândega da Fé.

Alfândega da Fé voltou a ficar em primeiro lugar no Índice de Transparência Municipal, da Integridade e Transparência, mas está agora acompanhada por Vila do Bispo. No fim da lista estão Pedrógão Grande e Porto Moniz. Beja está no 245º lugar, menos 71 lugares do que em 2016.

Na edição de 2017, foram apertados os critérios de análise, pelo que a pontuação média dos 308 municípios baixou de 52 para 51 pontos (de zero a cem). “Antes aceitávamos que só fosse publicada a declaração de rendimentos do presidente da câmara e dos vereadores com pelouro atribuído e agora pedimos as declarações de todos os vereadores”, exemplificou João Paulo Batalha, presidente da Integridade e Transparência.

Odemira na 58ª posição, é o município do distrito de Beja melhor colocado no Índice de Transparência Municipal, da Integridade e Transparência. A edilidade da “Vila do Rio Mira”, subiu 76 lugares, relativamente a 2016, onde depois de ter ficado em 134º lugar.

Beja é o oitavo município do distrito na lista, tendo ficado no 245º lugar, baixando 71 posições relativamente a 2016, onde se tinha quedado na posição 174.

Consulta a lista: MUNICÍPIOS- Lista de Transparencia

Restantes municípios do distrito de Beja: Alvito- 72º lugar (2017)/ 87º lugar (2016)/ Subiu 15 lugares; Mértola- 124º lugar (2017)/ 200º lugar (2016)/ Subiu 76 lugares; Aljustrel- 138º lugar (2017)/ 265º lugar (2016)/ Subiu 127 lugares; Vidigueira- 148º lugar (2017)/ 300º lugar (2016)/ Subiu 152 lugares; Cuba- 201º lugar (2017)/ 173º lugar (2016)/ Desceu 28 lugares; Ourique- 229º lugar (2017)/ 249º lugar (2016)/ Subiu 20 lugares; Ferreira do Alentejo- 247º lugar (2017)/ 233º lugar (2016)/ Subiu 14 lugares; Almodôvar- 262º lugar (2017)/ 184º lugar (2016)/ Desceu 78 lugares; Castro Verde- 292º lugar (2017)/ 224º lugar (2016)/ Desceu 68 lugares; Barrancos- 296º lugar (2017)/ 292º lugar (2016)/ Desceu 4 lugares; Serpa- 303º lugar (2017)/ 294º lugar (2016)/ Desceu 9 lugares e Moura- 306º lugar (2017)/ 260º lugar (2016)/ Desceu 46 lugares.

Em consequência, o município transmontano de Alfândega da Fé manteve-se na liderança, mas passou de 100 pontos para 91. “Vamos analisar as áreas em que perdemos pontos para as melhorar, queremos ser o mais transparentes possível”, disse ao JN a presidente da câmara, Berta Nunes, que felicitou toda a equipa. “É o resultado do trabalho de toda a organização”, adiantou. Em todo o caso, Alfândega da Fé tem-se mantido nos primeiros lugares o desde que o Índice de Transparência Municipal foi criado. Pode verificar aqui o lugar onde se encontra o município onde vive.

No fim da lista estão Pedrógão Grande e Porto Moniz. A primeira é presidida por Valdemar Alves, antigo inspetor da Polícia Judiciária e a segunda por Emanuel Câmara, ex-árbitro de futebol da 1ª categoria.

O índice mede a disponibilização de dados sobre o município e o seu funcionamento, planos e relatórios, impostos, taxas e preços, a relação com a sociedade, a transparência na contratação pública e económico-financeira e no urbanismo. Tal como em anos anteriores, a contratação pública é a área menos transparente. Mas a Integridade e Transparência nota que, com o passar do tempo, os municípios estão mais transparentes.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo