GNR: Operação Campo Seguro–Fase II, a partir de hoje nos campos agrícolas de Portugal.

A Guarda Nacional Republicana, entre o dia 29 de outubro e 31 de janeiro de 2019, em todo o território nacional, realiza a segunda fase da operação “Campo Seguro”. Durante a operação do ano passado, a GNR apreendeu 4.592 quilos de azeitona furtados em explorações agrícolas do distrito de Beja.

Durante os três meses da Operação, será intensificando o patrulhamento em áreas florestais e explorações agrícolas, com o objetivo de prevenir a criminalidade em geral e os furtos de azeitona, castanha e metais não preciosos em particular, prestando especial atenção a possíveis situações de tráfico de seres humanos.

Durante este período estão empenhados militares dos comandos territoriais, do Serviço de Proteção da Natureza e Ambiente, da Unidade de Ação Fiscal e da Investigação Criminal, que, durante o patrulhamento, realizam ações de sensibilização junto das comunidades rurais, especialmente dos agricultores, sobre medidas de prevenção e proteção contra furtos, e de prevenção de acidentes que envolvem veículos e máquinas agrícolas, alertando-os para as regras de segurança inerentes à condução e utilização de tais veículos.

Na utilização e condução de veículos agrícolas (tratores), a GNR aconselha a: Fazer a manutenção do veículo. O seu mau funcionamento ou falta de limpeza podem causar acidentes, Utilizar sempre as estruturas de proteção, como o arco de “Santo António”, podem evitar a morte do condutor ou reduzir a gravidade dos ferimentos, Utilizar os acessórios de iluminação e sinalização, de acordo com a lei, Frequentar ações de formação teóricas e práticas. O utilizador deve conhecer os riscos da condução de tratores agrícolas e circular com segurança, Não conduzir sob o efeito de álcool, fadiga ou com excesso de velocidade e Respeitar os limites do trator. Não sobrecarregar, nem transportar passageiros “à pendura”. É proibido e perigoso.

Operação “Campo Seguro 2017-Fase II” no distrito de Beja.

Desde o início da Operação “Campo Seguro 2017-Fase II”, que terminou no dia 31 de janeiro de 2018, a GNR apreendeu 4.592 quilos de azeitona furtados em explorações agrícolas do distrito de Beja. Durante a operação foram registados, comparativamente com a Operação Campo Seguro de 2016: 117 detidos (mais 46), 232 indivíduos identificados (menos 251), 46 crimes (menos 13) e 318 contraordenações (mais 21).

A maior apreensão de 2017 ocorreu no dia 13 de dezembro perto de Baleizão, quando os militares da GNR detetaram uma viatura de mercadorias, que transportava 1.250 quilos de azeitona, não tendo o condutor e proprietário da mesma sabido explicar a proveniência da azeitona, tendo identificado o local onde a mesma tinha sido apanhada.

A última apreensão ocorreu no dia 31 de janeiro, quando os militares do Posto de Moura da GNR detiveram em flagrante delito, seis homens e duas mulheres, com idades compreendidas entre os 20 e 44 anos de idade, pelo crime de furto de azeitona, na localidade de Sobral da Adiça – Moura.

Na sequência de uma denuncia por furto de azeitonas numa propriedade, os militares detetaram vários veículos automóveis, com matrícula espanhola, estando diversos indivíduos a proceder à apanha de azeitona.

Os suspeitos ao aperceberem-se da presença dos militares encetaram a fuga do local em direção a Moura, com o intuito de se deslocarem para Espanha, onde são residentes, tendo sido possível intercetá-los posteriormente, onde foram apreendidos 842 quilos de azeitona e seis máquinas utilizadas na apanha.

Maior furto de sempre no distrito de Beja

O maior roubo e recuperação de sempre no distrito de Beja (na foto), ocorreu no último dia do ano de 2016, quando a GNR recuperou as 20 toneladas de azeitona, furtadas no dia anterior na Herdade do Vale D’Água e recuperadas no Monte do Carvoeiro, ambos no concelho de Ferreira do Alentejo e avaliadas em 11 mil euros. Os larápios despejaram a azeitona noutra herdade, mas não apareceram para a recuperar.

A azeitona estava acondicionada em três reboques atrelados aos tratores, na Herdade do Vale D’Água, localizado a cerca de 1,5 quilómetros do Curveiro, e pronta para ser carregada para um lagar, tendo os meliantes utilizando os respetivos veículos para o furto.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On