GNR: Criada a Unidade de Emergência de Proteção e Socorro que sucede ao GIPS.

Foi publicado hoje em Diário da República o Decreto-Lei n.º 113/2018, que entra amanhã em vigor, que cria a a Unidade de Emergência de Proteção e Socorro (UEPS), que sucede ao Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS).

O Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS) foi criado em 2 de fevereiro de 2006, no âmbito orgânico da Guarda Nacional Republicana (GNR) e na dependência do Comando-Geral da GNR, tendo como missão específica a execução de ações de prevenção e de intervenção de primeira linha, em todo o território nacional.

O GIPS iniciou a sua atividade operacional no primeiro quadrimestre de 2006, tendo ficado com a responsabilidade de executar o ataque inicial helitransportado em 5 distritos (Vila Real, Viseu, Coimbra, Leiria e Faro).

Em 2007 foram atribuídos à responsabilidade do GIPS mais 4 distritos (Viana do Castelo, Braga, Porto e Aveiro), e no ano seguinte, em 2008, mais dois distritos (Bragança e Lisboa), ficando, desde então, com a responsabilidade de garantir o ataque inicial helitransportado em 11 dos 18 distritos de Portugal continental.

O decreto-lei cria, aditando às unidades especializadas existentes a Unidade de Emergência de Proteção e Socorro (UEPS), e a organização interna, os grupos e subunidades e companhia da UEPS são definidos por portaria do membro do Governo, com a organização das subunidades de escalão pelotão é definida por despacho do comandante-geral. A UEPS é comandada por um major-general, coadjuvado por um 2.º comandante, com o posto de coronel.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo