Garvão/ Ourique: Casal assume desfalque em associação de solidariedade social.

Mulher e marido, funcionária e diretor da Futuro de Garvão-Associação de Solidariedade Social, assumem desvio de dinheiro, cujo montante será superior a 100 mil euros. O Ministério Público já está a investigar.

Um casal, ela funcionária e ele diretor da Futuro de Garvão-Associação de Solidariedade Social, localizada em Garvão, concelho de Ourique, assumiram a existência de um desfalque financeiro nas contas da instituição, que gere uma unidade de cuidados continuados, centro de dia e apoio domiciliário.

A situação foi participada pela direção da instituição ao Ministério Publico, e o valor do desvio ultrapassará os 100 mil euros.

O caso foi despoletado na sequência da aquisição da unidade de cuidados continuados, por parte da FSC-Serviços de Saúde do Alentejo, propriedade do jovem médico Miguel Cardoso, um filho da terra, que durante o processo anunciou a efetivação de uma auditoria às contas da Futuro de Garvão.

A escritura de aquisição da unidade ocorreu no dia 28 de fevereiro e poucos dias depois, temendo ser descobertos, acompanhados de uma advogada, Andreia F. e Hugo J., dirigiram-se à associação e assumiram a autoria do desvio.

Mónica Raimundo, presidente da direção da Futuro de Garvão, confirmou ao Lidador Notícias (LN) que “o casal assumiu a responsabilidade do desvio do dinheiro e participámos ao Ministério Público. Quando a investigação terminar daremos explicações”, acrescentando que “a funcionária deixou a instituição há alguns dias”, tendo o nosso jornal apurado que tal se verificou no passado dia 6 de março.

A mulher, com funções de administrativa, estava há três anos na instituição e tratava de todos os assuntos relativos a recebimentos e pagamentos. Quando os utentes faziam o pagamento das faturas e emitidos os recibos, aquelas eram “anuladas”, através de notas de crédito.

O marido, funcionário da Câmara de Ourique, enquanto diretor da Futuro de Garvão, dava cobertura aos atos da mulher. Terão sido eles que três dias antes da escrita com a FSC, provocaram uma Assembleia-Geral onde surgiu a Fundação São Barnabé, com sede no vizinho concelho de Almodôvar, a pretender a compra da unidade, o que viria a ser rejeitado.

“Era uma forma de encobrirem os desvios que faziam”, disse ao LN um habitante da Garvão, acrescentando acreditava que “haverá mais gente envolvida na situação”, lembrando um café que foi criado na mesma e que “acabou por falir”, rematou.

Miguel Cardoso o novo investidor da instituição “conhecíamos o grave problema financeiro da associação, mas não imaginámos este desenlace”, acrescentando que “comprámos o edifício e alugamos os espaços à Futuro que continua a gerir as valências prestadoras de serviço, com a nossa supervisão”, justificando que com a compra e as obras da promover, serão investidos mais de 1,4 milhões de euros.

Unidade de Cuidados Continuados

Foi inaugurada em 18 de dezembro de 2012, pelo então secretário de estado adjunto do Primeiro-ministro, Carlos Moedas, com um investimento superior a um milhão de euros, tendo a Administração Regional de Saúde do Alentejo comparticipado com 721.552,90 euros.

Dívidas e trabalhadores

A nova gerência vai assumir parte dos encargos a fornecedores cujas dívidas ultrapassam o meio milhão de euros, assegurando a manutenção dos 40 postos de trabalho. Vai ainda fazer um novo edifício onde criará uma clínica e assegurará a extensão do Centro de Saúde de Ourique.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo