Festival: Terras sem Sombra começa dia 26 de Janeiro, no Kennedy Center em Washington.

Cante Alentejano, através das vozes do Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de S. Bento, estreia-se no Kennedy Center e abre portas à economia portuguesa.

O Terras sem Sombra une, de forma inédita, a música ao património e à biodiversidade, e caracteriza-se por associar, à exigência da qualidade, uma programação de cariz internacional. Tem por palco o Alentejo, uma das regiões onde mais se faz sentir o peso da identidade, e o evento não se limita a trazer o mundo ao seu território leva também o Alentejo ao mundo.

A edição de 2019 tem, como país convidado, os Estados Unidos, e traz a Portugal destacados intérpretes do outro lado do Atlântico, assim como uma programação, que faz uma radiografia da música norte-americana, do século XIX à criação mais recente. Estão previstas estreias, integrais ou europeias, de alguns dos mais importantes compositores americanos da actualidade.

A abertura do festival ocorre, em Washington, num santuário das artes performativas dos EUA, o Kennedy Center. No coração da capital escutar-se-á, pela primeira vez, o Cante, através das vozes do Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de S. Bento, um agrupamento “clássico” da música tradicional alentejana. A actuação terá lugar no Millenium Stage do Kennedy Center e será transmitida, em directo, pelo canal de TV da instituição, com audiências significativas, dentro e fora dos EUA.

O périplo por terras do Tio Sam, é acompanhado por presidentes e vereadores de câmaras municipais – como Beja, Serpa, Ferreira do Alentejo, Cuba, Vidigueira ou Sines –, mas também responsáveis por algumas das principais empresas da região, entre elas o Porto de Sines, a EDIA, a ACOS, que organiza a OVIBEJA, a Adega Cooperativa da Vidigueira ou as agências de Desenvolvimento Regional e de Promoção Turística do Alentejo, que realizarão reuniões com entidades locais.

O Terras sem Sombra começa a 26 de Janeiro na Vidigueira e conta com quase 50 actividades, entre concertos, conferências, visitas ao património e acções de salvaguarda da biodiversidade, em 13 cidades: Vidigueira, Serpa, Monsaraz, Valência de Alcântara, Olivença, Beja, Elvas, Cuba, Ferreira do Alentejo, Odemira, Barrancos, Santiago do Cacém e Sines.

Share This Post On
970x90_logo