Fª do Alentejo: Apresentação dos órgãos sociais da Associação Ambiental de Amigos das Fortes.

No próximo sábado, 22 de setembro, pelas 17,00 horas, realiza-se em Fortes, concelhio de Ferreira do Aentejo, um pic-nic, que tem como objetivo a apresentação dos órgãos sociais da Associação Ambiental de Amigos das Fortes (AAAF).

Segundo um comunicado da AAAF, “no seguimento da luta travada ao longo de mais de 10 anos pela população e amigos das Fortes”, foi decidido formalizar o grupo informal de moradores e amigos das Fortes “numa associação ambiental legalmente constituída para que a mesma possa fazer sempre parte da solução e nunca do problema”.

A apresentação dos órgãos sociais da Associação Ambiental dos amigos das Fortes está marcada para o dia 22 de setembro pelas 17 horas, através da realização de um pic-nic a ter lugar nas Fortes (Ferreira do Alentejo).

No documento é defendido que “a população de Fortes quer que esta localidade seja um exemplo onde indústria e ambiente possam ter uma convivência saudável, cumprindo todos os requisitos legais”, foi decidido formalizar o grupo informal de moradores e amigos das Fortes “numa associação ambiental legalmente constituída para que a mesma possa fazer sempre parte da solução e nunca do problema”.

O comunicado recorda o trajecto da luta da população que culminou na visita dos diferentes deputados dos vários partidos com assento parlamentar na Assembleia da República e da recente Resolução da Assembleia da República n.º 279/2018 publicada em Diário da República n.º 162/2018, Série I de 2018-08-23116154041 que recomenda ao Governo medidas urgentes para acabar com o problema ambiental e de saúde pública relacionado com a laboração do bagaço de azeitona, em Fortes, Ferreira do Alentejo, e nos concelhos limítrofes, seguiu-se a decisão da parecer favorável por parte da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDR) com vista à interrupção imediata da laboração da Fábrica de Bagaço de Azeitona nas Fortes por parte do IAPMEI para que num prazo de 6 meses resolvesse as anomalias e infrações detetadas, e que cujas obras estão agora em curso.

Com a constituição da AAAF “esperamos e exigimos o devido reconhecimento enquanto representantes desta causa por parte das demais entidades, locais, regionais e nacionais, que têm sob sua responsabilidade a monitorização e avaliação dos impactos ambientais resultante da laboração da unidade industrial, bem como, da própria empresa uma ligação direta de diálogo e envolvimento desta associação, definindo em conjunto uma política de responsabilidade social para com a comunidade das Fortes, que vise a sua melhoria qualidade de vida”.

Share This Post On