Ensino Superior: Plano Nacional de Alojamento prevê 30 novas camas em Beja.

Beja vai ter 30 das cerca de 12 mil camas previstas pelo plano de intervenção para a requalificação e construção de residências de estudantes, no âmbito da promoção pelo Instituto Politécnico de Beja.

De acordo com o Decreto-Lei n.º 30/2019 de 26 de fevereiro, o Alentejo vai ter  362 camas distribuídas por 24 edifícios, do total das quase 12 mil novas camas previstas no plano de intervenção para a requalificação e construção de residências de estudantes.

O Anexo III do documento refere que as 30 camas, ficaram instaladas nos Pavilhões 1 a 9, situadas no interior do Campus do Instituto Politécnico de Beja, não mais nada menos dos que as habitações de madeira que há mais de uma década serviram para receber as aulas da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTIG).

A promoção das camas de Beja está englobada na segunda das modalidades de criação de alojamento, feito pelas próprias instituições de Ensino Superior, individualmente ou em parceria com os municípios.

O IPBeja tem seis residências de estudantes com 405 camas, com a capacidade totalmente lotada. Face a diversos protocolos a instituição tem 379 estudantes estrangeiros, 274 dos quais são dos PALOP e 90% destes estão alojados nas residências, o que leva a que os estudantes portugueses externos à região, não consigam vagas nas residências.

Recorde-se que no passado dia 17 de dezembro, o Lidador Notícias revelou que no Bairro da Força Aérea, em Beja, são mais de duas centenas, os apartamentos fechados no antigo Bairro dos Alemães, localizado na zona Sudoeste de Beja. Só no edifício conhecido como a “Torre”, os 10 pisos tem 60 apartamentos abandonados, alguns no topo do prédio servem de dormitório aos pombos.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo