Cuba: Julgamento de 12 acusados por tráfico de droga. Nove homens três mulheres.

Começa hoje no Tribunal de Beja o julgamento de doze pessoas, nove homens e três mulheres. A maioria dos arguidos reside em Cuba, onde a operação da GNR teve maior incidência. Quatro estão em prisão preventiva.

Os arguidos com idades compreendidas entre os 18 e os 35 anos, estão acusados de um crime de tráfico de estupefacientes. Dois dos arguidos estão ainda acusados de um crime de passagem de moeda falsa. Três dos doze acusados têm antecedentes criminais por tráfico de estupefacientes e furtos.

No dia 21 de janeiro de 2018, a GNR fez treze buscas domiciliárias e seis em veículos, que foram apreendidos, além de 430 doses de cocaína, 268 doses de haxixe, 12 doses de folhas e uma planta de cannabis, nove doses de MDMA, cerca de 3.000 euros em dinheiro, 3.580 euros em notas falsas, 2 computadores, 23 telemóveis, cinco armas brancas e duas balanças digitais.

O núcleo duro do grupo estava localizado em Cuba, onde residem nove dos arguidos, que se deslocavam a diversas localidades para adquirir os estupefacientes, tendo inclusivamente duas das arguidas que funcionavam como “batedoras” nas estradas de acesso àquela localidade, com o objetivo de verificar a existência de patrulhas da GNR no percurso a percorrer.

No despacho de acusação a que o JN teve acesso, o MP sustenta que, meses antes, o arguido Marco G., adquiriu 250 notas falsas de 20 euros, no valor de 5.000 euros “com o intuito de as colocar em circulação na vila de Cuba”. Aquando da detenção os militares encontraram em casa do arguido 3.580 euros em notas falsas, os restantes 1.420 euros “já teriam sido passados no comércio local”.

Os quatro arguidos presos à ordem dos autos no Estabelecimento Prisional de Beja, pediram a abertura de instrução do processo para evitar o julgamento e conseguir a alteração das medidas de coação a que estão sujeitos, mas o juiz de Instrução Criminal considerou manterem-se reunidos todos os pressupostos da acusação para julgamento, bem como da prisão preventiva.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On