Cabeça Gorda/ Beja: José António, o “senhor” BTT, a “cara” da modalidade no Ferróbico.

Falar de BTT seja em Beja, no Algarve, em Mogadouro ou em Badajoz, logo vem “à baila”, o nome de José António, o homem que é o rosto de um dos melhores passeios da modalidade que se realiza em Portugal.

José António Serra, 52 anos

Funcionário Público, residente em Beja

“Por Terras de Mato” assim se denomina o raid que se realiza há 14 anos, no último domingo de maio, em Cabeça Gorda, concelho de Beja, organizado pelo Clube Desportivo e Recreativo local, mais conhecido pelo “Ferróbico”.

A secção de BTT e cicloturismo do “Ferróbico” tem 50 atletas e 105 sócios, muitos dos quais nem sabem andar de bicicleta, mas o amor ao clube e à dinâmica do grupo, leva a que queriam ajudar.

Um passeio domingueiro pelos campos da freguesia levou a pensar num evento que mostra-se a terra, as potencialidades da bicicleta, em particular do BTT, levou a criação do raid “Por Terras de Mato”, que percorre os caminhos inóspitos junto ao rio Guadiana.

De um grupo de quatro amigos, formou-se a secção composto por onze pessoas, onde Henrique Apolónia, é o presidente. “Muita gente pensa que sou o presidente, mas, sou o último da lista. Não há qualquer choque de personalidades, nem de importância dos cargos”, revela José António.

O evento junta todos os anos 500 participantes, número máximo balizado pela organização. “Podíamos ter 1000, mas queremos manter a qualidade. Com a inscrição oferecemos jantar na véspera da prova, pequeno-almoço e almoço no dia da corrida”, justifica.

Para ser perceber a envolvência da comunidade, basta atentar, que numa aldeia com 1200 pessoas, estão envolvidas na ajudar no raid, cerca de 220 pessoas.

José António é uma figura incontornável da modalidade e é “um Homem que Chora”. “Estar ligado ao clube e ao BTT, é uma paixão que me leva também a ser praticante de uma modalidade em permanente contato com a natureza”, acrescentando que “há momentos em que não se consegue falar e aparecem as lágrimas” justifica.

Quando se pergunta se tem amigos atira de pronto: “Amigos ? Ui…. Já lhe perdi a conta”, recordando um especial e em particular, Rafa Menaya, um espanhol de Badajoz, que lutou contra um cancro e é presença assídua em Cabeça Gorda.

“O raid é importante para trazer novas pessoas à nossa terra e à região, Cabeça Gorda está no “fundo de um poço”, mas lutamos para continuar a mostrar como uma terra de gente dinâmica, trabalhadora e acolhedora”, remata.

Para rematar uma época onde o clube participou em mais de 60 passeios, a 22 e 23 de setembro, José António e “sus muchacos”, vão fazer a travessia Badajoz, Barrancos, Cabeça Gorda, em que vai toda a família do grupo. “As mulheres conduzem os carros de apoio, onde também vão os filhos e no final rematamos com um jantar na aldeia”, justificando José António que “é a paixão pelo BTT que fala mais alto”, diz de forma emotiva.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On