Your SEO optimized title

Beja: Sete arguidos julgados por posse e passagem de moeda e posse de armas.

Evadido de Vale de Judeus entre os sete arguidos que estão a ser julgados por posse e passagem de moeda e detenção de armas ilegais. As detenções foram feitas em São Luís (Odemira), Águas de Moura (Setúbal) e Alenquer.

BEJA- Tachinha €_800x800José Silva, de alcunha o “Tochinha”, evadido do Estabelecimento Prisional de Vale de Judeus em 23 de dezembro de 2010, na sequência de uma saída precária, onde desde 1999 cumpria pena por três condenações que no total representavam 20 anos e 6 meses de prisão, é um dos arguidos de um processo que se reporta a fevereiro de 2011.

“Tochinha”, é um dos três homens, que com mais quatro mulheres, duas das quais ausentes por doença, começaram ontem a ser julgadas no Tribunal de Beja, pelos crimes de posse e passagem de moeda falsa e posse de armas ilegais.

Os arguidos, com idades entre os 43 e os 66 anos, foram detidos, entre 16 e 18 de fevereiro de 2011, em São Luís (Odemira), Águas de Moura (Setúbal) e Alenquer, em flagrante delito na posse de avultadas quantias de notas contrafeitas.

Ontem em tribunal, um dos arguidos Constantino R., assumiu que “por serem bonitas tinha comprado na Mouraria (Lisboa)” 199 notas falsas, pelas quais “paguei 50 euros”, justificando que era para “expor na parede da casa”, sustentou.

A operação foi desencadeada por militares do Destacamento Territorial (DT) da GNR de Odemira e o apoio dos DT’s de Setúbal e Alenquer, e durante as buscas domiciliárias às residências dos suspeitos, foram apreendidos 14.910 euros em notas falsas de 50 e 20 euros, todas com “o mesmo número de série” e ainda cerca de 840 euros e 20 dólares em moeda legítima.

Tudo começou quando a viatura de “Tochinha”, que viajava com a companheira, ficou atolado perto de São Luís e depois de uma intervenção da GNR, o comportamento do casal levantou suspeitas e na sequência de uma revista foram encontradas na posse da mulher 17 notas de 50 euros contrafeitas, após serem detetadas passagens de moedas falsas em estabelecimentos comerciais dos concelhos de Odemira e Santiago do Cacém.

No posto de Vila Nova de Milfontes, a GNR detetou que “Tochinha” era procurado por evasão da cadeia, acabando por chegar a outro arguido residente em São Luís. Em casa deste, António B e da sua companheira, foram encontradas 61 notas de 50 euros e 53 de 20 euros, todas falsas.

Deste segundo suspeito, a GNR chegou ao “potencial fornecedor” das notas com quem aquele tinha um encontro em Águas de Moura (Setúbal), onde apreenderam as 199 notas de 50 euros “compradas” na Mouraria, escondidas no eventual de uma das arguidas.

Em tribunal os arguidos “construíram” a sua versão dos fatos, o que levou um dos juízes do Coletivo a justificar que “o elo de ligação” entre todos eles é “o mesmo número das notas falsas”, que lhe foram apreendidas e circularam em vários sítios.

Entre as testemunhas de acusação, estão seis militares da GNR e cinco inspetores da Polícia Judiciária de Setúbal.

Outras apreensões

Quatro armas de fogo, pistolas 6.35 mm, 9 mm, calibre .22 e alarme, 93 munições de vários calibres, três armas brancas, três veículos, dois ligeiros de passageiros e um de mercadorias, uma moto-quatro, livretes e títulos de registo de veículos de outros veículos, 30 pepitas em ouro, telemóveis, cartões multibanco, cadernetas bancárias e material informático.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On