Beja: Reabilitação da piscina descoberta apresentada com financiamento.

O Centro UNESCO recebeu a apresentação pública de reabilitação do edifício da Piscina Municipal Descoberta. Foi anunciada a aprovação da candidatura a fundos comunitários superiores a 1,2 milhões de euros.

“A reabilitação do edifício da Piscina Municipal, faz parte de um triângulo de fruição da água em Beja e no concelho, que inclui também o Parque Fluvial dos Cinco Reis e a ligação de Beja aio rio Guadiana (zona de Quintos”, justificou ontem à noite o presidente da Câmara de Beja, a ideia de esteve na base do avanço desta obra.

Paulo Arsénio deu a conhecer que “o projeto teve início em 28 de fevereiro de 2018, uma candidatura em dezembro do ano passado, a aprovação do apoio financeiro da União Europeia na terça-feira e agora a fase de lançamento do concurso público”, concluiu.

O autarca deu ainda a conhecer que “há uma discussão em aberto sobre as pranchas: “manter as mesmas, mas terminar os saltos para a água ou eliminar a sua presença física”, revelando que em meados do Outono deverão começar as obras, justificando que “poderemos falhar por negligência e nunca por dolo”, revelando que durante o corrente ano o espaço vai estar disponível ao público, “entre 15 de junho e 15 de setembro”, concluiu.

Falando sobre verbas, foi revelado que o investimento da autarquia, no valor superior a meio milhão de euros, será feito com o recurso a verbas do Banco Europeu de Investimento (BEI). Paulo Arsénio revelou que a intervenção feita pela autarquia em 2008 no tanque de banhos, “foi com o recurso a um empréstimo de 400 mil euros, pagável a 40 anos, que estará concluiu em 2047. Faltam ainda liquidar 334.000 euros”, justificou.

João Margalha, técnico superior da autarquia, revelou que “o programa geral de requalificação de equipamentos municipais, considerou como prioritárias as recuperações das Piscinas Descobertas e do Mercado Municipal, uma intervenção que custará cerca de 2 milhões de euros”, justificou.

De referir que todas as instalações ficarão com pré-instalações, uma vez que serão concessionados, mediante concursos públicos e serão os concessionários a a fazer a instalação dos equipamentos.

Principais alterações na atual estrutura

O espaço vai ser dotado de novas valências, como são o caso da criação de um ginásio no 1º andar, no local do atual restaurante, passando este e o bar para o lado oposto, junto à torre do relógio, com o restaurante no 1º andar e o bar no rés-do-chão, de apoio aos utilizados do tanque de banhos.

No espaço do bar e dos antigos balneários das crianças, vão ser criadas quatro salas polivalentes. Também no rés-do chão são criados dois setores de balneários, sendo um para crianças e grupos e outro para homens e senhoras.

Na parte exterior do edifício, vai ser eliminado o fosso que separa o espaço da via pública.

A empresa responsável pelo projeto apresentou à autarquia uma proposta para a criação de uma nova sinalética para identificação dos vários espaços do complexo e também uma imagem para marchandising.

Verbas envolvidas na reabilitação da Piscina Descoberta

Custo total- 1.788.203,49€, Custo total elegível- 1.461.484,14€, Apoio financeiro da União Europeia- 1.242.261,52€ (Taxa de financiamento FEDER- 85% do custo total elegível) e Investimento Municipal- 545.941,97€.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo