Beja: “Os Verdes” espalham bandeiras negras contra olival super-intensivo.

Bandeiras pretas de protesto contra os olivais super-intensivos, colocadas pelo Partido Ecologista “Os Verdes” em vários locais do Alentejo. Em Beja bandeiras e tarja no IP2.

O Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV) promoveu uma campanha de protesto contra o olival super-intensivo, com a colocação de 500 bandeiras negras, a assinalar os locais dos três distritos do Alentejo, mais afetados por aquela cultura, que segundo o PEV “representa uma ameaça de morte do futuro do Alentejo, que destrói solos e contamina águas”.

Dirigentes de “Os Verdes” percorreram concelhos dos distritos de Portalegre, Évora e Beja, colocando as bandeiras negras defendendo a dirigente nacional Manuel Cunha que “para além da mudança da paisagem, com este tipo de cultura s região está a ser fortemente penalizada, face ao comprometimento da capacidade produtiva dos solos no futuro”, concluiu.

Em Beja, foi colocada uma faixa e várias bandeiras pretas junto ao IP2, chamando a atenção para o facto de “os olivais estarem a cercar a cidade e a destruir os famosos barros de Beja”.

Um recente trabalho do Lidador Notícias sobre as dívidas dos agricultores à EDIA pelo fornecimento de água, revelava que dos 120 hectares de área estrutura, 82% foram regados pelo Alqueva, na sua maioria com plantações de olivais super-intensivos.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo