Beja: Mudança do parque de campismo “cria” alameda do Flávio dos Santos ao Palácio da Justiça.

Durante a discussão da localização do novo parque de campismo, o presidente da edilidade, João Rocha, defendeu que com a deslocalização “a ideia é construir uma alameda na zona do parque de campismo, passando pelo antigo estádio de futebol a desembocar no Palácio da Justiça” que deverá estar construído até 2020. O PS contesta o local do futuro parque.

beja-campismo_800x800Depois do derrube do depósito da água, a edificação do novo parque de campismo de Beja na mata municipal, gerou mais uma polémica política entre CDU e PS na Câmara de Beja.

Descontentes com a forma como a maioria CDU decidiu aprovar a mudança da infraestrutura para aquele local, a Concelhia de Beja do PS, colocou uma faixa a protestar contra a decisão comunista.

Em reunião do Executivo da autarquia liderada por João Rocha, os comunistas defendem a deslocação do atual parque de campismo, da zona do antigo estádio de futebol e do local onde serão edificados o Palácio da Justiça e as instalações da PSP, com a justificação de que “vai potenciar a mata e o outro espaço será aproveitado como zona verde”.

Os socialistas defendem que a nova localização “penaliza o espaço da mata como utilização pública da população”. O PS lembra também que a nova localização do parque “é para junto de instalações escolares, como as existentes ao lado da “Mata”, Escola de Santiago Maior e Instituto Politécnico de Beja”.

O PS contesta também o Programa do Concurso, considerando que este “viola” o Código dos Contratos Público, nomeadamente, “quando omite a definição dos parâmetros dos critérios de adjudicação”.

No início do passado mês de junho, foi apresentado na reunião da Câmara de Beja (leia aqui a ata nº 11 … Ponto 2.3), um parecer do jurista da edilidade, onde este defende que é a condição para a adjudicação da “concessão de exploração do atual parque de campismo a construção do futuro parque, com direito à exploração”, durante um período de tempo indispensável à amortização do investimento.

Durante a discussão, o presidente da edilidade, João Rocha, defendeu que com a deslocalização “a ideia é construir uma alameda na zona do parque de campismo, passando pelo antigo estádio de futebol a desembocar no Palácio da Justiça” que deverá estar construído até 2020.

Tal como na Câmara, a CDU tem a maioria na Assembleia Municipal, o projeto comunista deverá ser aprovado.

Os socialistas voltam a defender a abertura de uma consulta pública para discussão do tema, como o fizeram no derrube do antigo Depósito de Água, localizado no Centro Histórico e em fase de desmantelamento.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo