Beja: Mercado Municipal fecha hoje ao público para obras de requalificação.

Obras de requalificação do Mercado Municipal, que encerra hoje ao público, cria estrutura provisória no “Mercado 25 de Abril”, no Largo de Santo Amaro.

As obras de requalificação do Mercado Municipal de Beja (MCB), levaram a autarquia a criar um espaço alternativo para alguns dos comerciantes interessados, no Largo de Santo Amaro, no “santuário da Reforma Agrária”.

Inaugurado em 1965, o MCB vai encerrar temporariamente a partir de hoje (sábado) para receber as obras que se iniciarão no dia 1 de março, com uma duração prevista é de 450 dias e que estão orçadas em 2.099 euros. A Câmara de Beja conseguiu um financiamento através do programa Alentejo 2020 de 1.275 mil euros, um empréstimo da autarquia de 573 mil euros e a restante verba a sair da tesouraria da autarquia.

A partir da próxima segunda-feira os operadores hortícolas, pescado e artesanato, vão instalar-se no chamado “Mercado 25 de Abril”, em 12 tendas e dois contentores instalados, no espaço que desde o 25 de abril, é o local de vendas dos pequenos produtores do concelho.

Os restantes concessionários do Mercado Municipal com acordos assinados com a autarquia, “vão instalar-se noutros espaços da cidade, contratados pelos próprios, sendo nestes casos atribuída uma compensação pelo Município, para suportar as despesas na instalação”, disse ao Lidador Notícias (LN), o presidente da edilidade, Paulo Arsénio.

Atraso nas obras

As obras de requalificação do Mercado Municipal de Beja poderão “sofrer atrasos” caso o diferendo que opõe três empresários à Câmara Municipal, que interpuseram uma providência cautelar interposta pelo trio, não seja decidida em tempo útil pelo Tribunal Administrativo e Fiscal (TAF) de Beja.

A providência cautelar deu entrada no TAF em 24 de julho do corrente ano, tendo a autarquia sido notificada e respondido à contestação dos três arrendatários de espaços, onde exploram estabelecimentos de venda de carne, que no documento argumentam com “a defesa de direitos, liberdades e garantias”, na manutenção da abertura dos talhos e dos postos de trabalho.

O presidente da Câmara de Beja, justificou que “esta é uma oportunidade absolutamente ímpar para reformular o mercado, que se for perdida dificilmente se repetirá num futuro próximo”, e face às vicissitudes que o processo vem conhecendo o edil justificou que “é uma tarefa nada fácil, pelos mais diversos motivos, mas que continuamos extremamente empenhados”, naquele que é considerado pelo Executivo socialista que lidera a Câmara de Beja como “um dos maiores desafios de reabilitação comercial do concelho”.

Mercado Municipal

Foi inaugurado em 1965, apresenta uma arquitetura do Estado Novo, e planta retangular, que se desenvolve em torno de pátio central descoberto e localiza-se no centro da cidade. O edifício é constituído por uma cave, rés-do-chão, um pátio interior e um galeria superior, que também é ocupada com sedes de associações. O Mercado está equipado com câmaras frigorificas e fabrico de gelo para os concessionários e vendedores do espaço.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo