Beja: João Palma, o mestre na restauração de carros antigos.

Tem mais de duas dezenas de carros antigos, todos recuperados por si. João Guerreiro Palma é apontado como o “mestre da restauração de carros antigos”.

Nome: João Guerreiro Palma, Idade: 75 anos

Profissão: Mecânico de automóveis

Naturalidade: Cabeça Gorda/Beja e Residência: Beja

“Todas as relíquias (carros antigos) tiram-me o sono. Durmo acordado a pensar e a sonhar como os recuperar”, diz de olhos a brilhar de alegria, João Guerreiro Palma, um mecânico de automóveis, dos mais experientes, vividos e profissionais de Beja.

Aos 13 anos aprendeu a profissão na sua terra natal, Cabeça Gorda, no concelho de Beja, onde durante três anos trabalhou numa casa agrícola, “sem ganhar um tostão, mas aprendi a ser Homem”, acrescentando que depois de passar por outros lugares e depois da tropa “rumei a França, onde estive dez anos”, lembra.

“Fui mecânico especialista da Peugeot num concessionário da marca perto de Paris, até regressar a Portugal em 1980, onde acabei por me estabelecer por conta própria”, remata.

E como nasceu a paixão pelos carros antigos? Em França João Palma conduzia um Citroen, um modelo conhecido como “Arrastadeira” (na foto) e ao chegar ao seu país, “comprei um carro desse modelo que ainda tenho e que foi construído em 1948, com quase 2000 de cilindrada. Tem 71 anos, mas é mais novo do que eu”, atira a rir.

João tem atualmente uma coleção de 20 relíquias, de diversas marcas e modelos. “Tive durante 10 anos um Cadillac que pertenceu o Cardeal Cerejeira e que foi o carro da inauguração do Cristo-Rei. Onde passava parava o trânsito. Com muita pena, vendi-o em 2014”, revela.

“Adoro automóveis. Compro tudo o que é antigo, mas não posso ficar com todos, tenho que vender alguns. Isto é como ter filhos, gostamos de todos, não há diferença”, justifica.

É João Palma que trata da mecânica de todos os carros. “Nunca tive uma viatura rejeitada na inspeção. É uma paixão muito chata (cara), para suportar as restaurações, as reparações, os seguros, as inspeções, mas cada maluco tem a sua paixão”, defende.

Mas o colecionador gosta de mostrar a sua coleção e participa em muitos passeios de carros antigos. “Não gosto de competições, só participo em passeios. Mostrar os carros, reviver tempos antigos e também deixar as pessoas com água na boca por não terem um bonito exemplar, como por exemplo a Arrastadeira”, diz feliz.

Quem o conhece, diz que João Palma, mais do que “excelente mecânico e um apaixonado” é um “mestre da restauração de carros antigos”.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo