Beja: Festival de BD “valoriza os autores e o património histórico da cidade”

O Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja volta a reunir autores de todo o mundo. A 15ª edição que começa na sexta-feira e propõe 19 exposições, foi ontem apresentada.

Para além das mostras com autores da Bélgica, Brasil, Colômbia, Espanha, Estados Unidos da América, França, Holanda, Inglaterra, Itália e Portugal, a iniciativa propõe também, lançamento de livros, conversas com os autores, sessões de autógrafos e concertos.

Os visitantes têm ainda, à disposição o Mercado do Livro, com mais de 60 editores presentes e venda de arte original. As exposições vão estar patentes na Casa da Cultura, Centro UNESCO e Museu Regional de Beja.

À Rádio Pax, Paulo Arsénio, presidente da Câmara de Beja referiu que a iniciativa vai “valorizar os autores e o património histórico da cidade”. O autarca salientou que esta 15ª edição é “mais rica e mais ampla”.

O presidente do Município sustentou que o Festival “está no bom caminho para afirmar Beja como um dos grandes centros europeus de mostras de Banda Desenhada”.

Paulo Monteiro, director da iniciativa explicou que a preocupação é “trazer estrangeiros até ao Festival”. Em seu entender, esta edição é muito “eclética com autores de banda desenhada de todas as tendências”.

Paulo Monteiro, disse ainda que, em Beja, existem 5 pessoas a viverem exclusivamente de ilustração e de banda desenhada.

O Festival Internacional de Banda Desenhada foi ontem apresentado na Bedeteca da Casa da Cultura, em Beja e decorre até dia 16 de Junho.

Share This Post On
970x90_logo