Beja: FESTIVAL B, para celebrar Mariana Alcoforado e os 350 anos das Cartas Portuguesas.

Foi hoje apresentado o FESTIVAL B 2019, dedicado à celebração de Mariana Alcoforado e comemoração dos 350 anos das Cartas Portuguesas e organizado pela Câmara Municipal de Beja.

“É uma iniciativa que visa promover Beja, pela sua cultura e património histórico e imaterial”, assim descreveu Paulo Arsénio, o segundo Festival B, este ano dedicado a Beja cidade Mariana Alcoforado, que vai decorrer entre 27 e 30 de junho, para “celebrar os 350 anos da primeira publicação das Cartas Portuguesas da freira que viveu na nossa cidade”, justificou.

Durante a apresentação que decorreu na manhã desta sexta-feira, no Museu Regional de Beja, onde a freira conheceu o capitão francês por quem se apaixonou, o presidente da Câmara Municipal de Beja sustentou que a iniciativa será “a expressão local muito no Alentejo, ao nível dos artistas e agentes locais da cultura nos diversos setores” e que tal como o ano passado “terá quatro palcos espalhados pela monumentalidade edificada do centro histórico, que convidam à itinerância pelos recantos da cidade”, rematou.

O edil revelou que “vai ser feito um documentário televisivo sobre a vida de Mariana Alcoforado”, em português, francês, inglês e japonês.

O cantor bejense Paulo Ribeiro, será de novo o diretor artístico do festival que o autarca lembrou ser “a pessoa certa para colocar este projeto no lugar a que aspiramos”, resumiu.

O artista justificou que a edição de 2019, “partiu de outros princípios” muito distintos dos que nortearam o do ano passado dedicado ao Cante, petisco e fado, sustentando que será “mis eclético pela figura iconográfica de Soror Mariana Alcoforado”, justificou.

Paulo Ribeiro acrescentou que “há uma lógica nos espetáculos. Pretendemos que os concertos sejam únicos no conteúdo e com duetos inéditos”, revelando que se realizarão residências artística visando que “tragam algo deles ao Festival B e levem Beja no coração”, rematou.

“Há uma aposta nos artistas locais e grandes nomes da música portuguesa”, disse Paulo Ribeiro na apresentação, tendo soltado uma expressão que arrancou algumas gargalhadas: “a comissão instaladora dos Trovantes vão estar em Beja”, concluiu.

Destaque para as atuações de Rão Kyao com o Coro do Carmo de Beja, de João Gil e Luís Represas com o Grupo de Cantares Feminino de Aljustrel, Jorge Palma e Mafalda Veiga com a Companhia de Dança de Beja ou mesmo a Ala dos Namorados e a Filarmónica Capricho Bejense.

Paulo Monteiro, responsável pela Bedeteca e pelo Festival de Banda Desenhada de Beja e vencedor do Prémio Nacional de Animação 2018, será o responsável pela edição de “Uma história em banda desenhada”, sobre a vida de Soror Mariana Alcoforado.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo