Beja: Dois jovens e uma mulher perderam a vida. Um ferido foi transferido para hospital de Lisboa.

Três mortos, dois homens e uma mulher, um ferido muito grave e um grave, ambos homens, foi o resultado de uma violenta colisão entre dois veículos ligeiros de passageiros. Um dos feridos foi transferido para o Hospital de São José, em Lisboa.

O acidente ocorreu na cerca das 21,30 horas de domingo, na Estrada Nacional (EN) 18, na ligação Beja/ Aljustrel, sentido norte/ sul, a cerca de 8 quilómetros da capital alentejana.

As vítimas mortais são José Rebocho, 27 anos, e Nuno Rato, 26, residentes em Selmes, concelho de Vidigueira, condutor e pendura de uma carrinha Renault Megane e Maria Custódia Gonçalves, 51 anos, residente em Penedo Gordo, concelho de Beja e pendura de um automóvel Opel Vectra.

O ferido grave é um cidadão romeno de 25 anos, Ciobotaiu Razvan, residente em Pedrogão, concelho de Vidigueira, o terceiro ocupante do Renault, que depois de dar entrada no Hospital de Beja, foi transferido para o Hospital de São José, em Lisboa, correndo risco de vida. O outro ferido, é José Custódio Mil-Homens, 46 anos, o condutor do Opel, que está internado no Serviço de Urgência da unidade alentejana, e, estado considerado grave, mas livre de perigo.

Por motivos ainda não apurados pelas autoridades, mas tudo aponta para excesso de velocidade do Renault Megane, que seguida no sentido norte/ sul e poucos minutos antes tinha saído da localidade de Penedo Gordo, a 3 quilómetros do local do acidente. Na terra batida, primeiro, e no asfalto, depois, são visíveis as marcas do veículo que cerca de cm metros depois voltou a entrar na via, atravessando na estrada, quando foi embatida de forma lateral, pelo Opel que circulava em sentido contrário, tendo como destino a mesma localidade de Penedo Gordo.

Enquanto esta viatura se imobilizada na valeta da estrada, a dois 2/3 metros do embate, com a violência do embate, a carrinha Renault rodopiou sobre si própria, tendo ficado virada no mesmo sentido em que seguia, norte/ sul.

As cinco vítimas ficaram encarceradas nas duas viaturas, tendo no local perdido a vida Nuno Rato (à esquerda na foto) e Maria Custódia Gonçalves, enquanto que José Rebocho (à direita na foto), que inicialmente iria ser transportado no helicóptero do INEM, sedeado em Évora e que aterrou na estrada de terra batida paralela à EN18, foi levado para o Hospital de Beja, em paragem cardiorrespiratória, onde veio a falecer algum tempo depois.

Nas operações de socorro estiveram envolvidos os bombeiros de Beja e de Odemira, cuja ambulância passava no local quando se deu o acidente, e militares dos Destacamentos de Trânsito e Territoriais da GNR, envolvendo 28 operacionais e 13 viaturas.

No local estiveram também meios do INEM, que mobilizou 6 operacionais da viatura médica de emergência e reanimação (VMER) e do helicóptero sediado em Évora, que acabou por ser desmobilizado, sem transportar o ferido.

A EN18 foi cortada à circulação dos dois sentidos durante três horas, tendo como alternativa na ligação Beja/ Aljustrel e vice-versa, o IP2. Os corpos das três vítimas foram levadas para o Gabinete Médico-Legal de Beja, onde vão ser autopsiadas.

Militares do Núcleo de Investigação Criminal de Acidentes de Viação (NICAV), que estiveram no local, estão a investigar as causas do acidente.

MARCOS KMS ESCONDIDOS

Face à altura da erva nas bermas e à falta de limpeza por parte das Infraestruturas de Portugal, durante a noite a GNR não conseguiu encontrar os marcos quilométricos e identificar com exatidão o quilómetro em que ocorreu o acidente, situação presenciada pelo LN no local.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On