Beja: Dois indivíduos condenados a prisão por furto de gado em montes no Alentejo.

Furto de gado em montes no Alentejo valeu 10 anos e 6 anos de prisão para os dois principais envolvidos. Os outros dois foram absolvidos.

Dois dos quatro acusados do furto de gado e aves em montes do distrito de Beja foram ontem condenados por um Coletivo de Juízes do Tribunal de Beja, a 10 anos e a 6 anos de prisão, respetivamente, a uma multa de 1.500 euros e a pagar indemnizações no valor de 4.499 euros.

Os outros dois elementos, pai e filho, foram absolvidos de todas as acusações. Os acusados, com idades compreendidas entre os 23 e os 50 anos, ouviram o juiz Vítor Maneta deixar cair a acusação de associação criminosa.

Mário J., 50 anos, residente em Frielas (Loures), foi condenado a 12 anos e 10 meses de prisão por quatro crimes de furto qualificado, 3 anos de prisão por um crime de detenção de arma proibida e 2 anos e 6 meses e uma multa de 300 dias a 5 euros/dia por um crime de abate clandestino. Em cúmulo jurídico foi condenado a 10 anos de prisão e a 1.500 euros de multa.

Paulo B., 35 anos, no Bairro da Ameixoeira (Lisboa), foi condenado a 10 anos e 8 meses de prisão por quatro crimes de furto qualificado, do que resultou um cúmulo jurídico de 6 anos de prisão.

António C, 48 anos e Rúben C, 23 anos, pai e filho, moradores na Gâmbia (Setúbal), foram ilibados de todos os crimes que estavam acusados. Mário vai continuar sujeito à medida de coação de obrigação de permanência na habitação com vigilância eletrónica e Paulo em liberdade, até trânsito em julgado do acórdão.

Nos furtos realizados em oito montes, já que dois foram visitados por duas, o grupo levou 3 bovinos, 114 caprinos, 129 ovinos e 140 aves, num valor que a investigação apurou de 26.950 euros.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On