Beja: Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda considera que a NATO não é bem-vinda.

A Coordenadora Distrital de Beja do Bloco de Esquerda emitiu um comunicado onde considera que a NATO/ OTAN “NÃO É BEM-VINDA EM BEJA”, a propósito da efetivação do Exercício “Trident Juncture 2015”, no Regimento de Infantaria 1.

NATO_800x800No documento Coordenadora Distrital de Beja do Bloco de Esquerda (CDBBE), começa por fazer alguns considerados sobre “a  primeira fase do exercício da NATO – Trident Juncture 2015 – teve início a 3 de Outubro, no Regimento de Infantaria n.º 1 de Beja, com a participação de militares do comando do Estado-Maior do Joint Logistic Suport Group (JLSG) e do Forward Element do Joint Force Command Brunssum, prolongando-se até 16 de Outubro”.

Depois a CDBBE, acrescenta que o “Trident Juncture 2015 terá uma segunda fase, entre 21 de Outubro e 6 de Novembro, sendo considerado “o maior exercício da NATO desde o fim da “guerra- -fria”, envolvendo toda a estrutura de comando com a participação de cerca de 36 mil pessoas, de mais de 30 países”.

O comunicado que apresenta quatro pontos, onde a estrutura do BE, justifica as razões por considera que a NATO/ OTAN “Não é bem-vinda a Beja”:

1. A Coordenadora Distrital de Beja do BE manifesta o mais profundo desagrado pela realização dum exercício da NATO nesta cidade. Beja viu-se livre, no final dos anos 80 duma base aérea alemã utilizada inúmeras vezes para trânsito de armamento pela aviação dos EUA e da NATO, em particular nas crises no Médio Oriente, pondo em causa a paz e a segurança do país e da nossa região.

2. Após o fim da “guerra-fria”, em vez de se dissolver, a NATO reforçou o seu caráter belicista a nível global, com a “guerra infinita” do Afeganistão ao Iraque ou à Líbia, a pretexto do “combate ao terrorismo”. O fracasso desta estratégia está patente na Síria, com o reforço dos fundamentalismos e o surgimento do “Estado Islâmico”.

3. A NATO é bem o símbolo da submissão da Europa aos ditames dos EUA e o seu braço armado na disputa imperial com a Rússia, com enormes riscos para a paz na Ucrânia, na Síria e que podem alastrar à Turquia, ao Cáucaso e aos Balcãs.

4. O povo português, já fustigado pela austeridade, dispensa jogos de guerra como o Trident Juncture 2015, um desperdício inadmissível de recursos, particularmente inoportuno durante a formação do novo governo. Portugal é, ao que parece, um país soberano não é um protetorado da NATO.

Share This Post On
970x90_logo