Beja: Autor dos tiros em Vidigueira, em prisão preventiva. Acusado de homicídio tentado.

Paulo Duarte o autor de duas tentativas de homicídio com arma de fogo ficou em prisão preventiva. Ouvido no Hospital de Beja, onde estava internado, o agressor remeteu-se ao silêncio. Estava a cumprir uma pena de prisão, suspensa, por violência doméstica.

Do Serviço de Urgência (SU) do Hospital de Beja para o Estabelecimento Prisional da cidade, foi o trajeto que Paulo Duarte, o presumível autor de três disparos de caçadeira contra duas mulheres, fez no final da tarde ontem, depois de lhe ser decretada a prisão preventiva.

Enquanto isso, uma das vítimas Ana Leirão, de 51 anos, continuava nos Cuidados Intensivos da unidade a lutar pela vida, numa situação descrita como “muito crítica”.

Pouco passava das 16,00 horas, quando o Procurador do Ministério Público (MP) e um Juiz do Tribunal de Cuba, chegaram à unidade hospitalar para ouvirem o indivíduo, de 54 anos, que se remeteu ao silêncio. Como o individuo poderia ter alta médica ao final da tarde de ontem, o que veio a suceder, e o prazo de 48 horas para ser presente a tribunal expirava as 03,00 horas deste sábado, os magistrados optaram por ouvir o indivíduo no hospital.

Segundo fonte judicial esta situação não tem procedentes na Comarca de Beja nos últimos trinta anos, onde nunca os magistrados foram a um hospital ouvir um arguido.

O suspeito estava internado, já que depois de cometer os crimes em Vidigueira, refugiou-se em sua casa onde tentou o suicídio ingerindo um produto químico visando colocar fim à vida.

Segundo apurou o Lidador Notícias (LN), Paulo Duarte, está acusado de dois crimes de homicídio qualificado na forma tentada e um de crime de detenção de arma proibida, e no decurso do processo poderá vir a ser também acusado do crime de omissão de auxílio.

Apesar de ter sido um crime cometido com o recurso a armas de fogo e a PJ de Faro ter sido chamada a fazer investigações, o MP de Cuba decidiu que o processo ficava entregue à GNR, que procedeu à detenção do suspeito e promoveu a sua guarda durante a permanência no hospital.

Desde que foi dado o alerta para os crimes, passando pela detenção, guarda hospitalar e entrega do arguido no Estabelecimento Prisional de Beja, o processo foi liderado pelo Destacamento Territorial de Beja, comandando pelo Capitão Nuno Afonso.

Recorde-se que o crime ocorreu na noite de quinta-feira, cerca das 00,20 horas, quando Ana Leirão saia do lar “Entardecer Solidário”, situado no Loteamento Poço da Figueira, em Vidigueira, onde trabalha na companhia da colega e amiga Célia Caetano, de 54 anos e foram alvo de uma emboscada a tiro por parte do arguido, que depois fugiu para a sua casa, em São Matias, concelho de Beja, onde foi apanhado pelos militares da GNR.

Em 13 de setembro de 2017, Paulo Duarte foi condenado a uma pena de prisão de 2 anos e 6 meses, suspensa pelo mesmo período, por violência doméstica perpetrado contra a companheira de então. Como penas acessórias foram também decretadas a proibição de aproximação e contato da vítima e ainda a inibição de aquisição ou posse de armas de fogo.

 Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo