Beja: Autarquia ativou o Municipal de Proteção Civil.

A situação de pandemia por COVID-19, levou a Câmara Municipal de Beja, após auscultação da Comissão Municipal de Proteção Civil de Beja e em consonância com o acionamento do Plano Distrital, ativar o Plano Municipal de Emergência e Proteção Civil.

A autarquia esclareceu as linhas gerais que o Plano Municipal de Emergência e Proteção Civil (PMEPC) para o COVID-19 prevê, entre outros a criação de espaços para quarentena de comunidades migrantes, alojamento de pessoal do sector da saúde, idosos/lares e contingentes de bombeiros.

Pavilhões desportivos, hotéis, pousada, seminário, pavilhão do Parque de Feiras e em particular o Regimento de Infantaria vão estar prontos para serem utilizados no PMEPC.

Espaços para quarentenas de comunidades migrantes, de etnia ou outras por ordem de utilização:
1. Pavilhão da Escola de Santa Maria – 50 pessoas;
2. Pavilhão da ESE – IP Beja – 30 pessoas;
3. Pavilhão Municipal João Serra Magalhães – 50 pessoas;

Espaços para alojamento de pessoal do setor da saúde por ordem de utilização:
1. Hotel Francis;
2. Hotel Santa Bárbara;

Espaços para Idosos/Lares se necessários por ordem de utilização:
1. Pousada da Juventude de Beja (resposta em articulação com a ULSBA) – 32 pessoas;
2. Seminário Diocesano de Beja – 42 pessoas;
3. Regimento de Infantaria n.1 – até 200 pessoas;
4. Pavilhão dos Sabores, Parque de Feiras e Exposições de Beja – até 80 pessoas;

Resposta para contigentes suplmentares de Bombeiros que tenham de acorrer a Beja:
1. Regimento de Infantaria n.1 – até 50 bombeiros;

Em “stand-by” para qualquer necessidade: Base Aérea n.11

O presidente da Câmara Municipal de Beja, deixou o reconhecimento do Município “a todas as instituições públicas e privadas que disponibilizaram já as suas instalações para eventuais necessidades, OBRIGADO!”.

Paulo Arsénio manifestou outras preocupações e desejos, neste período conturbado que o país vive:

“Com os desejos de que não venham a ser necessárias (excepto as dos profissionais de saúde que, por questões óbvias, estão a ser utilizadas), nem para Beja, nem para serem utilizadas por nenhum dos nossos municípios parceiros na CIMBAL para os quais estamos inteiramente à disposição. Por que nisto, como em muitas outras coisas, ESTAMOS JUNTOS!

Entretanto, e numa altura de “reconversão” de atividades generalizada, o projeto da Robótica nas Escolas da CM Beja e que funciona na Escola de Santa Maria, começou hoje a criar/elaborar viseiras em acrílico, segundo modelo/padrão indicado pela ULSBA.
As nossas impressoras 3D conseguem produzir 100 viseiras por dia e as primeiras 200 (produzidas hoje e amanhã) destinam-se ao Hospital e aos Centros de Saúde. Nas próximas semanas iremos produzir viseiras de proteção para várias instituições, sempre porém com prioridade para a ULSBA.
Mais uma vez se prova que o investimento na educação é o melhor que pode fazer-se. E aqui até assume um carácter prático nesta fase absolutamente inacreditável que o mundo atravessa.

Fora disso e “a meio-gás”, por via da rotatividade que introduzimos nos serviços face à realidade do COVID-19, continuam a concretizar-se algumas atividades correntes da CM Beja em espaço público.

Como há sempre “uma curiosidade” sobre os números neste contexto, refiro que até às 15.00h. de hoje o Concelho de Beja registava 3 casos positivos de COVID-19″.

Share This Post On
970x90_logo