Baleizão/ Beja: Furtado velocípede envolvido em atropelamento.

O velocípede envolvido num atropelamento, em Baleizão, que fez dois feridos, um com gravidade, foi furtado. Francisco Reis, enfermeiro reformado socorreu os feridos, dois vizinhos.

Caricato foi o que sucedeu logo após o acidente. Enquanto o enfermeiro assistia os dois acidentados, alguém furtou o motociclo, que nunca mais foi visto, tendo a GNR ouvido diversas pessoas que se concentraram no local, mas ninguém deu qualquer indicação sobre quem se terá apoderado do velocípede.

Dois vizinhos, um de 70 anos e outro de 28 anos, ficaram ontem feridos, um deles com gravidade, na sequência do atropelamento por um ciclomotor conduzido pela mais nova das vítimas.

O acidente ocorreu numa rua da aldeia de Baleizão, concelho de Beja e para além dos dois envolvidos no acidente a mulher do septuagenário sentiu-se mal e foi também conduzida para o Serviço de Urgência do Hospital de Beja.

A amanhã foi o alvoroço na pequena aldeia, já que acidente ocorreu cerca das 11,00 horas, no largo principal da aldeia, quando o homem que subiu a rua, conversando com um amigo que ia no outo lado da artéria, foi atropelado pelo ciclomotor, cujo condutor não se terá apercebido da presença do peão. Foi o cidadão que conversa com o peão, um enfermeiro reformado com mais de 40 anos de experiência, que prestou os primeiros socorros às duas vítimas envolvidas no atropelamento.

Manuel Hilário, o septuagenário, atravessava o largo conversando com Francisco Reis, o enfermeiro que regressava de uma corrida matinal, quando o Miguel Neto, um vizinho destes, vinha em sentido contrário no seu ciclomotor, e por motivos desconhecidos embateu do peão e acabou também estendido no empedrado.

A esposa no septuagenário correu ao local do acidente e ao ver o marido ferido, sentiu-se mal e depois de assistida no local pelo médico da VMER, acabou por ser transportada para o hospital.

Caricato foi o sucedeu logo após o acidente. Enquanto o enfermeiro assistia os dois acidentados, alguém furtou o motociclo, que nunca mais foi visto, tendo a GNR ouvido diversas pessoas que se concentraram no local, mas ninguém deu qualquer indicação sobre quem se terá apoderado do velocípede.

Das três vítimas o que inspirava mais cuidados era Manuel Hilário que apresentava um derrame na cabeça., tendo ficado internado no Hospital de Beja, enquanto que a sua mulher e Miguel Neto, tiveram alta médica ao início da tarde.

No local do acidente estiveram 11 operacionais dos Bombeiros, VMER e GNR de Beja, apoiados por cinco viaturas.

Francisco Reis (enfermeiro reformado)

“Eu e o Manuel conversávamos de um lado da rua para o outro, quando se deu o acidente. Nem percebi como. Quando os vi no chão pareciam-me mortos. Primeiro socorri o Manuel que já tinha a língua enrolada e consegui reverter o perigo e de seguida assisti o Miguel. Felizmente sobreviveram. A mota ? Apercebi-me que alguém lhe mexeu, mas com a preocupação do socorro nem vi quem foi”.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo