Automobilismo: Carlos Martins, piloto serpense, vence rali na terra natal.

A dupla Carlos Martins, piloto natural de Serpa, e Daniel Amaral (Mitsubishi evo VII) venceram a edição 2018 do Rali Flor do Alentejo Cidade de Serpa. Emoção até ao último centímetro!.

Tremenda luta na edição 2018 do Rali Flor do Alentejo – Cidade de Serpa. A dupla Carlos Martins, piloto natural de Serpa, e Daniel Amaral (Mitsubishi evo VII) venceram à geral por uma diferença de tempo mínima – um décimo de segundo – face a Carlos Fernandes/Bruno Abreu (Mitsubishi evo VI), enquanto que o terceiro classificado ficou a uns distantes 1.56.0 mts (Fernando Peres/José Pedro Silva – Mitsubishi evo IX).

Nesta edição do Rali de Serpa, a primeira passagem por Brinches foi marcada pelo incidente do líder do campeonato, Márcio Marreiros, que ficou com o carro parado após a passagem no curso de água, perdendo logo aí quaisquer hipóteses de um bom resultado, pois perdeu logo 3.48 mts (seria 8º no final). Também Fernando Peres, que era o 2º na estrada, perdeu muito tempo com o incidente do Márcio, uma vez que ficou sem espaço para passar, perdendo 1.35 mts.

Mas a emoção foi uma constante durante todo o dia. Luta tremenda em cada troço entre Carlos Fernandes e Carlos Martins. PE1 Fernandes ganha 8.10 segundos a Martins, que responde na PEC2 recuperando 13.1 seg. A 3ª PEC fechou com nova vitória de Fernandes, que terminou a secção da manhã à frente da classificação com 1 segundo de vantagem para Martins.

Para a tarde, mais 3 provas especiais de classificação (Santa Iria, 2 vezes, e Brinches) e promessa de espetáculo garantido. Em Santa Iria, Carlos Martins volta a efetuar o melhor tempo e regressa ao comando do Rali, com uma vantagem de 4.8 segundos. Segue-se a derradeira passagem por Brinches, onde Carlos Fernandes vence e volta ao comando do Rali, com 2,5 segundos de vantagem para Martins. A última passagem em Santa Iria deu o mesmo vencedor, Carlos Martins, que ganhou 1.5 segundos ao Carlos Fernandes, que ainda assim mantinha o 1º lugar da geral, 1 segundo à frente. Tudo teria que ser decidido na super-especial noturna.

O epílogo do Rali Flor do Alentejo Cidade de Serpa, tinha hora marcada – 21h30. Centenas de pessoas testemunharam a tremenda luta pela vitória final, em apenas 2060 metros. Carlos Martins venceu a super-especial com menos 1.10 segundos que Carlos Fernandes, o que lhe permitiu vencer o rali com apenas uma décima de segundo de vantagem. Uma diferença irrisória, mas que diz bem da competitividade deste Rali. Muito bom!

Excelente Rali, com emoção até ao ultimo centímetro, e vitória de Carlos Martins/Daniel Amaral em Mitsubishi evo VII (que venceu as 3 passagens de Santa Iria e a super-especial), com Carlos Fernandes/Bruno Abreu em Mitsubishi evo VI (que venceu as 3 passagens de Brinches), a apenas uma décima de diferença. O derradeiro lugar do pódio foi para Fernando Peres/José Pedro Silva em Mitsubishi evo IX, que recuperou bem, após a incidência do primeiro troço.

Primeiro e segundo classificados efectuaram uma média 88,06 Km/h, para cumprir 67,07 Km deste Rali de Serpa, um dos mais disputados Ralis de sempre.

Em 35 anos de jornalismo sobre desporto motorizado, este Rali de Serpa foi o mais competitivo, com incerteza até ao último centímetro, que tive oportunidade de acompanhar.

José Carlos Pereira

Share This Post On