Alqueva: Apesar da muita chuva, a maior albufeira da Europa longe do enchimento total.

A chuva que tem caído nos últimos dias, motivada pela depressão “Elsa”, está longe de levar a que Alqueva, a maior albufeira da Europa, fique longe do enchimento total.

Apesar do mau tempo que tem assolado Portugal nas últimas 48 horas, em face da depressão “Elsa”, a região Alentejo é aquela onde menos tem chovido o que faz com que a albufeira da Barragem de Alqueva, a maior da Europa, esteja muito longe de poder atingir a capacidade máxima de enchimento.

Segundo os dados atualizados para o Lidador Notícias (LN) pela Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas de Alqueva (EDIA), às 09,00 horas desta sexta-feira apresentava uma cota de enchimento de 145,33 metros e um volume de água armazenado de 2.754,01 hectómetros cúbicos (hm3), muito longe da capacidade máxima que foi atingida pela primeira vez em 12 de janeiro de 2010.

De acordo com os dados da EDIA, a capacidade de armazenamento de água de Alqueva é de 4.150 hm3 e que corresponde ao nível de pleno da cota de 152 metros. Nas últimas 48 horas, desde que a depressão “Elsa” começou a assolar o país, a cota em Alqueva subiu 21 centímetros e armazenou 5,37 hectómetros cúbicos.

Fonte da EDIA disse ao LN que “a Bacia do Guadiana é aquela onde menos tem chovido, daí que não seja de prever o enchimento de Alqueva”, acrescentando que “as terras estão agora alagadas e quando a água começar a escorrer, pode chegar à albufeira. Também do lado de Espanha não tem chovido e não há abertura de barragens ou embalses”, rematou.

A última vez que a Barragem do Alqueva encheu na plenitude foi no início de 2014, mas não tendo a EDIA feito descargas para o leito do rio Guadiana. A última fez que tal sucedeu foi em 2013, quando foram despejados milhares de hectómetros cúbicos de água para o “Grande Rio do Sul”.

Para melhor se perceber o pouco que tem chovido no Alentejo, basta ver que entre 17 e 19 de dezembro a precipitação acumulada é de 19.2 milímetros, chuva que essencialmente caiu durante o dia de quinta-feira. No acumulado das semanas entre 11 e 17 de dezembro e 13 e 19 do mesmo mês, a diferença é de 26,8 milímetros.

Também na Barragem de Pedrogão, localizada no rio Guadiana, no concelho de Vidigueira e que desempenha a função de contra-embalse de Alqueva, que permite que a central hidroelétrica possa funcionar de forma reversível, o cenário de enchimento total também é uma miragem.

Com uma capacidade de armazenamento de 106 hectómetros cúbicos, está com um volume de 91,49 hm3 e a sua cota de enchimento atual é de 83,85 metros para um máximo de 84,8 metros.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo