Aljustrel: Acidente na mina de Fetais faz um morto e um ferido grave.

Um morto e um ferido grave, foi o resultado da queda de uma viatura ligeira de mercadorias 4×4 para um fosso, no interior da Mina de Fetais, localizada no lugar de Malha Ferro, em Aljustrel.

Os dois trabalhadores, mecânicos de profissão, trabalhavam para a Empresa Portuguesa de Desenvolvimento Mineiro (EPDM), que prestam serviços para a Almina, proprietária da mina de Aljustrel.

O acidente ocorreu pouco depois das 11,00 horas de ontem (segunda-feira), quando a viatura caiu para um fosso de 40 metros de profundidade de uma altitude de 310 para os 350 metros, arrastando os dois trabalhadores no seu interior.

Joaquim Maria Guerreiro, de 46 anos, residente em Vale da Eiras, freguesia de Ermidas-Sado, concelho de Santiago do Cacém, condutor da viatura, ficou encarcerado entre o volante e as chapas e teve morte imediata. Cerca das 13,30 horas o JN presenciou a chegada da mulher da vítima, que lavada em lágrimas, à porta da mina teve a confirmação da morte do marido. O casal tem três filhos, um deles, menor de idade.

O ferido grave, é João Corte Negra, de 25 anos, reside em Ervidel, concelho de Aljustrel, foi transportado para o Hospital de Beja, apresentando um quadro clínico definido como “muito complicado”.

Segundo apurou o LN, o acidente ocorreu num troço da mina com um desmonte em aberto, não sinalizado, o que levou a que a viatura tivesse caído no vazio. Fonte ouvida pelo nosso jornal justificou que na mina da Somincor, em Neves-Corvo (Castro Verde), em situações desde género “existe uma barragem que barra a passagem de uma viatura, que evita o acidente. Aqui acabou-se a terra e o carro caiu”, justificou.

Na portaria da mina, foi solicitada uma reação ao acidente, por parte da Almina ou da EPDM,  tendo sido referido pelos elementos da segurança que “não há qualquer indicação de que sejam prestadas declarações sobre o assunto”, referiram.

Para além das equipas de Primeira Intervenção da própria mina, no local estiveram 32 operacionais dos Bombeiros de Aljustrel, ambulância do INEM, viatura de suporte imediato de vida (SIV) de Castro Verde, e GNR do Destacamento Territorial e Ambiental, apoiados por 13 viaturas.

O helicóptero do INEM de Loulé chegou a aterrar no relvado sintético do Estádio Municipal de Aljustrel e depois de médico e enfermeiro terem estabilizado a vítima, esta foi transportada de ambulância para o Serviço de Urgência do Hospital de Beja. Também a equipa de salvamento em grande angulo dos Bombeiros de Beja, esteve de prevenção, mas acabou também por ser desmobilizada.

A Autoridade para as Condições no Trabalho (ACT) abriu um inquérito para apurar as causas do acidente.

Luís Cavaco

(Dirigente do Sindicato Trabalhadores Industria Mineira/ STIM)

“Na mina não há uma verdadeira cultura de segurança. Há muitos acidentes que são ocultados. O medo persiste no interior da mina e os trabalhadores têm receio de perder o emprego e na maior parte das vezes não falam. Houve uma morte é mais um número. O STIM vai continuar a lutar e a divulgar as irregularidades, sempre na esperança que a ACT atue mais ativamente”.

Outros casos

20 maio de 2015: Uma queda de um tapete rolante, de uma altura de 190 metros, esteve na origem a morte de Joaquim Gomes, de 48 anos, residente em Odivelas, concelhio de Ferreira do Alentejo.

6 de outubro de 2017: Um homem, de 48 anos, ficou gravemente ferido na sequência de uma colisão entre um dumper (camião basculante) e uma carrinha de caixa aberta, a 200 metros de profundidade, deixando o seu condutor encarcerado. Ficou politraumatizado.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo