Alentejo: Seis romenos detidos em operação de combate ao tráfico de pessoas na agricultura.

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras deteve seis pessoas de nacionalidade romena por suspeitas de tráfico se pessoas. Mais de 250 estrangeiros, de países de leste, vítimas de exploração laboral.

Um ano de aturado e minucioso trabalho da Direção Central do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) culminou na terça-feira com a detenção de seis indivíduos de nacionalidade romena, com idades compreendidas entre os 22 e os 47 anos, por suspeitas de tráfico se pessoas, auxílio à emigração ilegal e associação de auxílio à imigração ilegal.

A operação “Masline (azeitona em romeno), decorreu nas zonas de Beja, Ferreira do Alentejo e Montes Velhos (Aljustrel) e Torrão e levou ainda à identificação de 255 cidadãos de nacionalidade estrangeira, oriundos do leste europeu, que trabalhavam sujeitos a degradantes condições de trabalho, alojamento e salubridade.

O SEF refere em comunicado que esta “foi a maior operação de combate ao tráfico de seres humanos”, realizada por este OPC que empregou 141 operacionais, que teve como objetivo “o desmantelamento de uma rede de tráfico de seres humanos”, que introduzia trabalhadores estrangeiros “em situação irregular” na apanha da azeitona.

No decurso da operação “Masline”, cujo inquérito estava sob a alçada do DIAP de Évora, foi dado cumprimento a 6 mandados de detenção, 8 de busca domiciliária, 2 de busca a escritório e 12 para apreensão de viaturas. Por seu turno o DIAP revelou que “foram apreendidas quantias em dinheiro, automóveis, munições e tabaco”.

Segundo apurou o Lidador Notícias(LN), os seis detidos, entre os quais estão dois indivíduos, F. e C., tidos como os “capos” da estrutura que recrutava os trabalhadores nos países de origem, aliciando com melhores condições de vida, mas chegados a Portugal, ficavam sem os documentos e eram obrigados a trabalhar sem receberem qualquer vencimento, dormindo amontoados em habitações sem condições.

Os dois indivíduos são gestores de pelo menos 14 empresas de prestação de serviços de mão-de-obra e maquinaria na agricultura e terão faturado o ano passado mais de 2,5 milhões de euros.

A operação decorreu segundo o SEF “com o apoio de diversos parceiros em termos logísticos” e a presença da Rede de Apoio à Vítima, para “garantir o tratamento adequado das situações ali detetadas”, justificaram.

O LN apurou que os 255 cidadãos identificados, foram transportados em diversos autocarros para as casernas do Regimento de Infantaria 1, em Beja, onde as presumíveis vítimas do tráfico de pessoas foram alimentadas e posteriormente identificadas e sinalizadas. Cerca das 06,00 horas de ontem foram depois restituídos aos lugares onde se encontram a viver.

Os detidos vão ser hoje presentes no DIAP de Évora onde serão ouvidos e aplicadas as medidas de coação.

No passado dia 7, em Cuba, a PJ deteve um indivíduo de 40 anos, de nacionalidade romena, pela suspeita de tráfico de pessoas para trabalhos agrícolas na região, tendo saído em liberdade, sujeito à medida de coação de apresentações bissemanais às autoridades. No âmbito da investigação além do suspeito detido, foi também constituída arguida uma mulher estrangeira e uma pessoa coletiva.

Em 16 de novembro, o LN divulgou a existência de um “dormitório fantasma” no bar (na foto) de um antigo parque aquático que está abandonado e localizado em Neves, concelho de Beja, no “coração” da apanha da azeitona.

Operação Corda Bamba- 17 de abril de 2018

O Coletivo de juízes do Tribunal de Monsanto aplicou penas de efetivas de prisão a 13 dos 26 arguidos, entre os 6 e os 16 anos de reclusão. Outros dois arguidos foram condenados por lenocínio, um outro com pena suspensa e um último a pena de multa. Os restantes nove arguidos foram absolvidos, estando entre eles o advogado

A investigação do processo teve início em dezembro de 2015, titulado pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP)-4ª secção do Ministério Público (MP) de Sintra e resultou da extração de uma certidão de um outro processo também dirigido pela 4.ª secção do DIAP de Sintra, em colaboração da UNCT, e esteve na origem da operação “Corda Bamba”.

A ação policial levou à detenção de dezoito pessoas, treze homens e cinco mulheres, depois de mais de 30 buscas realizadas durante toda a manhã do dia 17 de novembro de 2015, em vários pontos do território, mas sobretudo na zona Oeste, mais concretamente em Óbidos e na Ericeira, no litoral alentejano, em especial em Santiago do Cacém, Vila Nova de Milfontes, Odemira e São Teotónio, e ainda em Serpa e Cabeça Gorda.

A Operação “Corda Bamba”, investigou e acusou 26 pessoas dos crimes de associação criminosa e 35 de tráfico de pessoas, 16 romenos, 5 búlgaros, 4 português, entre eles o advogado bejense Hugo Machado, um cidadão de Cabeça Gorda e dois de Serpa, e 1 ucraniano, dos quais 16 encontram-se em prisão preventiva.

Uma rede criada e liderada pelo clã Bambaloi, a partir de Vila Nova de Milfontes, ganhou mais de oitocentos mil euros, valores faturados por quatro empresas angariadoras de trabalhadores romenos para a apanha da azeitona, controlada pelos Bambaloi.

Teixeira Correia

(jornalista)

Share This Post On
970x90_logo